Meteorologia

  • 25 FEVEREIRO 2024
Tempo
15º
MIN 13º MÁX 17º

Zelensky alerta para situação "difícil" e "dolorosa" na região do Donbass

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, alertou esta segunda-feira que a situação na região do Donbass é "difícil" e "dolorosa", com as forças russas a utilizarem "todos os recursos à disposição".

Zelensky alerta para situação "difícil" e "dolorosa" na região do Donbass
Notícias ao Minuto

06:37 - 27/12/22 por Lusa

Mundo Ucrânia

"Os ocupantes estão a utilizar todos os recursos à sua disposição -- e são recursos consideráveis -- para conseguir qualquer avanço", explicou Zelensky na sua habitual mensagem de vídeo noturna dirigida à população.

Zelensky mencionou o trabalho de várias unidades específicas das Forças Armadas ucranianas "pelos seus sucessos na destruição das forças inimigas" e ainda o trabalho dos trabalhadores das empresas elétricas nas reparações, "mesmo no sábado e domingo, véspera de Natal e Natal" para "dar mais energia às pessoas".

O chefe de Estado ucraniano referiu, no entanto, que nove milhões de pessoas passaram estes dias sem eletricidade em várias regiões do país.

"O número e a duração das interrupções estão a ser reduzidos gradativamente. Obrigado a todos que tornaram isso possível", destacou.

Volodymyr Zelensky garantiu ainda que a Ucrânia vai aplicar "rapidamente tudo o que foi acordado em Washington", durante a sua recente visita surpresa aos Estados Unidos.

A Ucrânia garantiu um novo pacote de ajuda militar dos EUA de 1.800 milhões de dólares, incluindo uma bateria de mísseis Patriot.

Em entrevista à agência Associated Press (AP) divulgada esta segunda-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano explicou que o governo dos EUA desenvolveu um programa para que as tropas ucranianas concluam o treino mais rápido do que o normal "sem nenhum dano à qualidade do uso da arma [Patriot] no campo de batalha".

Embora Kuleba não tenha mencionado um prazo específico, o ministro referiu apenas que será "muito menos de seis meses", acrescentando que o treino decorrerá fora da Ucrânia.

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 14 milhões de pessoas -- 6,5 milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões para países europeus --, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Neste momento, 17,7 milhões de ucranianos precisam de ajuda humanitária e 9,3 milhões necessitam de ajuda alimentar e alojamento.

A invasão russa -- justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia -- foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

Leia Também: Kremlin diz estar concentrado nas suas próprias condições para a paz

Recomendados para si

;
Campo obrigatório