Meteorologia

  • 06 FEVEREIRO 2023
Tempo
MIN 6º MÁX 18º

"Não deixaremos nenhum ucraniano em prisões ou isolamentos russos"

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, revelou imagens de um documentário, que revela o que está por trás dos processos de troca de prisioneiros. Veja o vídeo.

"Não deixaremos nenhum ucraniano em prisões ou isolamentos russos"
Notícias ao Minuto

21:01 - 05/12/22 por Daniela Carrilho com Lusa

Mundo Guerra na Ucrânia

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, partilhou nas redes sociais um vídeo que mostra como se desenrolam os processos de troca de prisioneiros entre Kyiv e Moscovo.

"O documentário ‘Retorno’ demonstra como toda a equipa trabalha e o que está por trás dos processos de troca", revelou o líder ucraniano, deixando uma mensagem com esperança para o povo que está a sofrer as consequências da invasão russa.

"Lembramo-nos de todos. O dia chegará e saudaremos todos os libertados novamente na Ucrânia", pode ainda ler-se na publicação na rede social Facebook.

Na última troca de prisioneiros, a 24 de novembro, o Governo ucraniano comunicou a libertação de nove militares e três civis que se encontravam em cativeiro russo.

Na mesma semana, 50 soldados prisioneiros de guerra da Ucrânia e da Rússia foram trocados, e anteriormente tinham sido libertados 35 soldados russos por outros tantos soldados ucranianos e um civil.

Recorde-se que a ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas - mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,7 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa - justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

Leia Também: Zelensky diz que mais de 1.300 prisioneiros foram libertados pelos russos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório