Meteorologia

  • 27 JANEIRO 2023
Tempo
12º
MIN 6º MÁX 14º

AO MINUTO: Dificuldades do inverno? "Terror" russo; Kyiv reporta ataques

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

AO MINUTO: Dificuldades do inverno? "Terror" russo; Kyiv reporta ataques
Notícias ao Minuto

08:18 - 04/12/22 por Notícias ao Minuto

Ao Minuto Mundo Guerra na Ucrânia

O ritmo "reduzido" de combate dos russos deverá manter-se nos próximos meses, garantiu a diretora de Inteligência Nacional norte-americana. Avril Haines disse não possuir nenhuma evidência que os ucranianos tenham reduzido a sua vontade de resistir, mesmo perante os ataques do Kremlin à sua rede elétrica e outras infraestruturas críticas para suportar o inverno.

Ao mesmo tempo, Haines afirmou que os russos estão a usar munições a um ritmo maior do que aquele a que as conseguem repor. Segundo o Pentágono, citado pela NBC News, a Rússia tem estado a disparar "20 mil tiros de artilharia por dia", mesmo após sofrer alguns contratempos no campo de batalha.

No panorama internacional, mantém-se a tensão em torno do limite de 60 dólares colocado ao preço do petróleo russo, algo que a Rússia disse já não iria aceitar.

Por sua vez, o presidente ucraniano considerou que este limite não é sério e pouco fará para impedir a Rússia de manter a sua ofensiva na Ucrânia. “É apenas uma questão de tempo até que ferramentas mais fortes tenham que ser usadas de qualquer maneira. É uma pena que desta vez se tenha perdido”, disse Volodymyr Zelensky, no sábado.

Fim de cobertura

Ema Gil Pires | há 1 mês

Boa noite. Terminamos mais um acompanhamento AO MINUTO sobre os acontecimentos na guerra da Ucrânia. Estaremos de regresso na manhã de segunda-feira. Obrigada por ter estado desse lado!

Prosseguem os ataques russos em várias regiões, alega a Ucrânia

Ema Gil Pires | há 1 mês

As Forças Armadas ucranianas acusaram as tropas russas de terem levado a cabo, este domingo, dois ataques com mísseis e bombardeado, por 10 vezes, posições ucranianas perto da linha da frente de batalha com recurso a lança-foguetes, está a noticiar o The Kyiv Independent.

Kyiv acusou ainda Moscovo de ter atacado infraestruturas civis em Kherson, no sul do país, e em Nikopol, nas proximidades de Zaporíjia. As forças russas terão ainda, de acordo com a mesma fonte, perpetrado ataques sobre as regiões de Sumy, Kharkiv, Donetsk e Lugansk. 

Forças russas atingiram por 64 vezes quatro localidades em Sumy

Ema Gil Pires | há 1 mês

O governador da região de Sumy, Dmytro Zhyvytskyi, relatou que as forças russas bombardearam quatro localidades por 64 vezes ao longo deste domingo. Segundo reporta o The Kyiv Independent, não há registo de baixas até ao momento.

Os ataques foram levados a cabo sobre as vilas de Yunakivka, Novoslobidske, Velyka Pysarivka e Shalyhyne.

Rússia espera usar "dificuldades" do inverno como "parte do seu terror"

Notícias ao Minuto | há 1 mês

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, considerou, este domingo que "suportar o inverno" é "defender tudo" o que a Ucrânia tem, com a Rússia a usar o "frio" e as "dificuldades" da estação como "parte do seu terror". 

No seu habitual discurso diário, o chefe de Estado ucraniano admitiu que será um inverno "difícil", mas que este será "um tempo" que irá aproximar Kyiv da "vitória". 

"O inimigo espera realmente usar o inverno contra nós: fazer do inverno frio e das dificuldades parte do seu terror. Temos de fazer de tudo para aguentar este inverno, por mais difícil que seja. E vamos aguentar. Suportar este inverno é defender tudo", disse Zelensky.

Rússia espera usar "dificuldades" do inverno como "parte do seu terror"

Zelensky pede mais união do que nunca ao povo ucraniano, elemento essencial para "suportar" e ultrapassar este inverno.

Notícias ao Minuto | 22:54 - 04/12/2022

Nove barcos com cereais partiram de Odessa "nos últimos dois dias"

Ema Gil Pires | há 1 mês

Nove embarcações carregadas com toneladas de produtos agrícolas partiram, nos últimos dois dias, dos portos de Odessa com destino a outros pontos do planeta, segundo o anúncio feito pelo Ministério das Infraestruturas da Ucrânia este domingo.

"Nos últimos dois dias, os portos de Odessa enviaram nove embarcações com 336.000 toneladas de produtos agrícolas para países de África, Ásia e Europa. Desde o início da implementação desta iniciativa, o mundo já recebeu 13 milhões de toneladas de alimentos ucranianos", revelou a tutela por via de uma publicação na rede social Facebook. 

EUA acusam Rússia de usar inverno como arma de guerra contra civis

Lusa | há 1 mês

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, acusou hoje o governo russo de estar a usar o inverno como arma de guerra na Ucrânia e condenou os ataques de Moscovo à infraestrutura e fontes de energia dos cidadãos ucranianos.

Numa entrevista ao canal CBS, citada pela EFE, Blinken considerou que o presidente russo, Vladimir Putin, recusou as tentativas de diálogo para sair do conflito e, em contrapartida, intensificou a sua ofensiva.

"Dobrou as apostas em tudo: mobilizando mais forças, anexando território na Ucrânia e agora usando o inverno como uma arma", disse o secretário de Estado norte-americano.

EUA acusam Rússia de usar inverno como arma de guerra contra civis

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, acusou hoje o governo russo de estar a usar o inverno como arma de guerra na Ucrânia e condenou os ataques de Moscovo à infraestrutura e fontes de energia dos cidadãos ucranianos.

Lusa | 21:23 - 04/12/2022

"Cada soldado das Forças Armadas da Ucrânia é um super-herói"

Ema Gil Pires | há 1 mês

O Ministério da Defesa da Ucrânia acabou de fazer uma publicação, na rede social Twitter, sobre a questão da disseminação de desinformação no decorrer deste conflito, onde deixa ainda um elogio às tropas de Kyiv.

"Na primavera passada, a propaganda russa sobre pombos ucranianos geneticamente modificados. Agora, teorias da conspiração sobre soldados ucranianos 'clonados'. Em seguida, serão 'super soldados' geneticamente modificados em 'biolabs' secretos. Capitão Ucrânia? Não. Cada soldado das Forças Armadas da Ucrânia é um super-herói", pode ler-se no 'post'.

Filarmónica da Ucrânia prossegue com os concertos (apesar dos apagões)

Ema Gil Pires | há 1 mês

A Filarmónica Nacional da Ucrânia, comumente designada de Filarmónica de Kyiv, mostrou recentemente que nem a guerra pode parar a música, através do seu mais recente concerto.

Um vídeo, partilhado nas redes sociais pela especialista em temáticas de segurança Maria Avdeeva, ilustra como a Filarmónica em causa continua a levar a cabo os seus concertos apesar dos cortes de energia que, por todo o país, se fazem sentir em várias cidades ucranianas, consequência dos ataques russos sobre infraestruturas críticas.

Porta-voz da Duma: Empresários devem ajudar a "desenvolver" a Rússia

Ema Gil Pires | há 1 mês

O porta-voz russo da Duma (Parlamento russo), Vyacheslav Volodin, recorreu a uma publicação na rede social Telegram, este domingo, para defender que os empresários russos devem investir no desenvolvimento do país, de forma a conseguirem, também, garantir a preservação dos seus fundos.

A posição, aqui citada pela agência noticiosa estatal russa TASS, surge numa altura em que estes indivíduos vivem sob a constante ameaça de verem os seus bens confiscados pelas autoridades ocidentais - não estando, também, isentos do risco de poderem a vir, efetivamente, a ser detidos devido às suas proximidades com o Kremlin.

Perante essa realidade, o político argumentou ainda que todos aqueles que mantêm os seus bens e fundos no estrangeiro podiam ter bastante dificuldade em recuperá-los no futuro.

Em jeito de conclusão, apontou: "Uma pessoa tem de trabalhar para desenvolver o seu próprio país - a Rússia. E lembrar-se que nasceu e foi capaz de realizar o seu potencial aqui, e que lhe deve tudo. É necessário fazer todos os possíveis para melhorar a qualidade de vida no país. Dessa forma não só preservará o seu dinheiro, como também terá uma consciência mais tranquila".

Porta-voz da Duma: Empresários devem ajudar a "desenvolver" a Rússia

Vyacheslav Volodin emitiu a sua posição numa altura em que os empresários russos vivem sob a constante ameaça de verem os seus bens confiscados pelas autoridades ocidentais.

Notícias ao Minuto | 17:00 - 04/12/2022

Já é conhecida a identidade do empresário russo detido em Londres

Ema Gil Pires | há 1 mês

No sábado, foi detido, em Londres, no Reino Unido, um empresário russo suspeito de ligações ao presidente russo, Vladimir Putin. Inicialmente não se sabia a identidade do indivíduo que tinha sido intercetado pelas autoridades britânicas, mas a mesma foi entretanto revelada, nomeadamente, por parte da Rússia, reporta a agência noticiosa estatal russa TASS.

Segundo uma fonte próxima do detido, o empresário Mikhail Fridman, sobre ele recaem suspeitas de violação das sanções impostas pelo Ocidente, na sequência da invasão russa sobre a Ucrânia. Isto depois de, já em maio, ter sido aberto um processo penal, no Reino Unido, contra o empresário russo Pyotr Aven, pelo mesmo motivo. 

Recorde-se que, a 28 de fevereiro, a União Europeia impôs sanções a estes dois indivíduos, Mikhail Fridman e Pyotr Aven, os proprietários do grupo de investimento privado internacional russo Alfa Group Consortium, bem como a outros altos-funcionários e empresários russos.

No dia 1 de março, surgiu a notícia que dava conta de que Fridman e Aven tinham apresentado a demissão do conselho de administração do russo Alfa-Bank.

Rússia tenta recrutar para a guerra filho de ex-espião opositor de Putin

Ema Gil Pires | há 1 mês

Anatoly Litvinenko, filho do ex-espião russo Alexander Litvinenko, conhecido opositor do presidente russo, Vladimir Putin, terá sido alvo de uma tentativa de recrutamento, por parte do exército de Moscovo, para que se juntasse aos combates em território ucraniano. Isto apesar de já não viver na Rússia "há mais de 20 anos".

A denúncia foi feita pelo próprio Anatoly Litvinenko num texto publicado no jornal britânico The Guardian, onde recorda a forma como o pai morreu em 2006, no Reino Unido, "semanas depois de ter bebido um chá contendo polónio 210, um isótopo radioativo". Em causa está um envenenamento que foi atribuído ao Kremlin por parte, nomeadamente, do Tribunal Europeu de Direitos Humanos.

Saiba tudo sobre esta história através da hiperligação seguinte:

Rússia tenta recrutar para a guerra filho de ex-espião opositor de Putin

A denúncia foi feita pelo próprio Anatoly Litvinenko num texto publicado no jornal britânico The Guardian.

Ema Gil Pires | 16:37 - 04/12/2022

Rússia colheu 949 milhões de euros em trigo ucraniano este ano, diz NASA

Lusa | há 1 mês

A Rússia colheu cerca de 1.000 milhões de dólares (949 milhões de euros) em trigo ucraniano desde o início do ano, o que corresponde a aproximadamente 5,8 toneladas deste cereal, segundo dados da NASA.

"A análise mostrou que 5,8 milhões de toneladas de trigo foram colhidas em áreas que não estavam sob o controle ucraniano. Isto representa uma perda de 1.000 milhões de dólares", lê-se numa nota publicada no 'site' do NASA Harvest, o programa de agricultura e segurança alimentar da agência aeroespacial dos Estados Unidos.

O NASA Harvest inclui dados de satélite e modelos produzidos em colaboração com agências parceiras.

Rússia colheu 949 milhões de euros em trigo ucraniano este ano, diz NASA

A Rússia colheu cerca de 1.000 milhões de dólares (949 milhões de euros) em trigo ucraniano desde o início do ano, o que corresponde a aproximadamente 5,8 toneladas deste cereal, segundo dados da NASA.

Lusa | 16:29 - 04/12/2022

Mais de 500 localidades ucranianas estão sem eletricidade

Ema Gil Pires | há 1 mês

Mais de 500 localidades ucranianas continuam a estar sem eletricidade este domingo, na sequência dos ataques aéreos perpetrados pela Rússia sobre a rede elétrica ucraniana. A informação foi avançada por um funcionário do Ministério do Interior à televisão ucraniana, segundo reporta a AFP.

"O inimigo continua a atacar as infraestruturas essenciais do país. Atualmente, 507 localidades em oito regiões do nosso país estão desligadas do fornecimento de eletricidade", explicou o vice-ministro do Interior, Yevgueny Yenin.

A mesma fonte explicou ainda que a "região de Kharkiv é a mais atingida, com 112 aldeias afetadas". Isto numa altura em que, acrescentou também, 90 aldeias viram a energia ser-lhes cortada nas regiões de Donetsk e Kherson, juntamente com outras nas regiões de Mykolaiv, Zaporíjia e Lugansk.

Teto ao preço do petróleo? Rússia prepara "mecanismos" para evitá-lo

Ema Gil Pires | há 1 mês

A Rússia está a trabalhar para evitar vender petróleo dentro do limite máximo de preços decretado pelos países ocidentais, disse este domingo o vice-primeiro-ministro russo, Alexander Novak, reporta a Reuters.

"Estamos a trabalhar em mecanismos para proibir a utilização de um instrumento de preço máximo, independentemente do nível estabelecido, porque tal interferência poderia desestabilizar ainda mais o mercado", explicou o governante.

Alexander Novak explicou ainda que a Rússia não irá operar num contexto de limitação aos preços, mesmo que Moscovo tenha de, para isso, reduzir a produção petrolífera.

"Boas intenções fazem o caminho para o inferno de Putin ou Kanye West"

José Miguel Pires | há 1 mês

O conselheiro presidencial ucrainano Mykhailo Podolyak 'disparou farpas' em direção ao dono da Tesla, SpaceX e Twitter, Elon Musk, que acusou de "preferir as chamadas 'soluções simples' mágicas".

Num tweet, Podolyak lamentou que as opções de Musk sejam "trocar territórios estrangeiros para uma paz ilusória" ou "abrir todas as contas privadas porque a liberdade de expressão tem que ser total", acusando: "Boas intenções necessariamente pavimentam o caminho para o inferno de Putin ou Kanye West".

Em outubro deste ano, Elon Musk realizou um inquérito no Twitter, onde apresentou aos utilizadores - que podiam votar a favor ou contra - o seu 'plano para a paz' da Ucrânia. Lá, as sugestões de Musk passavam por refazer as eleições das regiões anexadas sob a supervisão da ONU, saindo a Rússia se essa for a vontade do povo; a Crimeia formalmente fazer parte da Rússia, "como tem sido desde 1783 (até o erro de Khrushchev)"; assegurar o fornecimento de água para a Crimeia e a permanência da Ucrânia como neutra. Na altura, 40.9% dos utilizadores votaram a favor, votando os restantes 59.1% contra.

Tropas ucranianas alcançam margem oriental do rio Dnieper

Lusa | há 1 mês

As tropas ucranianas terão alcançado a margem oriental do rio Dnieper, perto de Kherson, cidade recentemente libertada da ocupação russa, indicam relatórios militares citados pela agência espanhola Efe. Novos relatórios militares mostram imagens de um pequeno grupo de soldados que atravessaram as águas em embarcações e alcançaram um pequeno porto na margem oriental do rio Dnieper, onde içaram a bandeira ucraniana.

Segundo o Instituto do Estudo da Guerra norte-americano, se este avanço se confirmar as tropas ucranianas poderiam começar a operar na margem oriental. No entanto, o mesmo instituto realça que não é claro que as tropas russas se tenham retirado daquela margem.

Ucranianos alegam ter matado, pelo menos, 91.150 soldados russos

José Miguel Pires | há 1 mês

Segundo dados do Estado-maior das Forças Armadas Ucranianas, já terão morrido, desde o início da invasão da Ucrânia, pelo menos 91.150 soldados russos.

Os ucranianos realçam também ter destruído, até agora, 2.922 tanques, bem como 5.892 máquinas blindadas de combate, 1.908 sistemas de artilharia, 395 lança-foguetes múltiplos, 210 sistemas de guerra antiaérea, 281 aviões, 263 helicópteros, 1.573 drones, 531 mísseis de cruzeiro, 16 navios, 4.479 veículos e tanques de combustível e 163 equipamentos especiais.

"O adversário sofreu as maiores derrotas nas direções de Limansky e Bakhmuts. O inimigo russo sofreu as maiores perdas (do último dia) nas direções Bakhmut e Lyman", lê-se na publicação no Facebook do Estado-maior.

Ucranianos acusam russos de usar armas químicas

José Miguel Pires | há 1 mês

As Forças Navais Ucranianas relataram, este domingo, citadas pelo The Kyiv Independent, que tropas russas terão usado granadas de gás lacrimogéneo K-51, de fabrico soviético, contra soldados ucranianos que lutavam no leste do país. 

Segundo o Protocolo de Genebra de 1925, o uso de armas químicas e biológicas na guerra é proibido mas, de acordo com a marinha ucraniana, os russos terão lançado as granadas K-51 de drones contra os defensores ucranianos.

“Para se proteger do forte efeito irritante da munição proibida, os fuzileiros navais mantiveram as suas posições usando equipamentos de proteção química”, disseram os militares ucranianos.

Macron pede "segurança" para o Kremlin em caso de negociações

José Miguel Pires | há 1 mês

O presidente francês, Emmanuel Macron, disse à cadeia televisiva TF1 que, se o Ocidente pretende que a Rússia regresse à mesa de negociações, têm de lhe ser dadas algumas "garantias" de segurança.

"Esse tema fará parte dos temas da paz, por isso temos de preparar o que estamos dispostos a fazer, como proteger os nossos aliados e Estados membros e como dar garantias à Rússia no dia em que ela voltar à mesa de negociações", disse Macron, depois de um encontro com o presidente norte-americano em Washington.

"Um dos pontos essenciais que devemos abordar - como o presidente Putin sempre disse - é o medo de que a NATO bata à sua porta e o desdobramento de armas que possam ameaçar a Rússia", disse Macron.

Britânicos partilham imagens de recrutas ucranianos no Reino Unido

José Miguel Pires | há 1 mês

O Ministério da Defesa do Reino Unido publicou, no Twitter, imagens de recrutas ucranianos que estão a treinar no Reino Unido.

Nas imagens é possível ver os recrutas a receber um kit de preparação para o seu regresso à Ucrânia, "onde lutarão para libertar sua nação".
 
Os kits, para além dos elementos habituais, incluem também roupas para o frio, de forma a combater a descida das temperaturas na Ucrânia.

Russos minam infraestruturas em Sievierodonetsk

José Miguel Pires | há 1 mês

As forças russas estão a minar infraestruturas, incluindo instalações médicas, em Sievierodonetsk.

A informação foi avançada pelo chefe exilado da administração militar desta loclaidade, Oleksandr Striuk, citado pelo The Kyiv Independent, que anunciou também que os arredores da cidade estão também a ser minados.

Sievierodonetsk é uma cidade estratégica na região de Lugansk, ocupada pela Rússia desde 25 de junho.

A situação humanitária na cidade é também difícil, sem aquecimento e quase sem eletricidade, conforme avançou Striuk, que acusou o contínuo saqueio de apartamentos vazios por parte das forças russas.

Reino Unido. Apoio russo à invasão da Ucrânia "cai significativamente"

José Miguel Pires | há 1 mês

O Ministério da Defesa do Reino Unido citou, no seu relatório diário, uma pesquisa recente que conclui que o apoio público russo à invasão da Ucrânia está a "cair significativamente".

Segundo a pesquisa, 55% dos russos "favorecem as negociações de paz com a Ucrânia" e apenas 25% apoiam a continuação da guerra.

Números que mostram uma clara descida desde, por exemplo, abril, mês em que, segundo os britânicos, cerca de 80% dos russos afirmaram apoiar a guerra contra a Ucrânia.

Segundo o Ministério da Defesa britânico, apesar dos esforços das autoridades russas para “impor o controlo generalizado do ambiente de informação, o conflito tornou-se cada vez mais tangível para muitos russos”, principalmente desde a “mobilização parcial”.

“Como é improvável que a Rússia alcance grandes sucessos no campo de batalha nos próximos meses, é provável que seja cada vez mais difícil para o Kremlin manter a aprovação tácita da guerra entre a população”, concluiu.

Ucranianos acusam ataques a 17 localidades em Lugansk e Donetsk

José Miguel Pires | há 1 mês

O Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia anunciou, este domingo, que a Ucrânia repeliu ataques russos perto de 17 localidades nas regiões de Lugansk e Donetsk.

Ploshchanka e Bilohorivka, na região de Lugansk, bem como Berestove, Bilohorivka, Yakovlivka, Soledar, Bakhmutske, Bakhmut, Opytne, Klishchiivka, Andriivka, Kurdiumivka, Vodiane, Pervomaiske, Vesele, Marinka e Novomykhailivka em Donetsk, de acordo com o relatório, foram as zonas onde os russos tentaram avançar.

As forças ucranianas alegam ter derrubado um jato russo Su-25 e um drone do tipo Orlan-10. Para além disso, dizem, unidades de artilharia ucranianas terão atingido dois pontos de controlo russos, um depósito de munição, três áreas de concentração de pessoal e armas e uma área de concentração de artilharia das tropas russas.

Zelensky diz que teto preço do petróleo "não é sério"

José Miguel Pires | há 1 mês

“Não se pode considerar uma decisão séria estabelecer tal limite [60 dólares por barril] para os preços russos, o que é bastante confortável para o orçamento de um estado terrorista”, disse Zelensky num vídeo, no sábado, reagindo à decisão do G7 e da Austrália, seguindo os passos da comunidade internacional, de limitar o preço de venda do petróleo russo a 60 dólares por barril.

“É apenas uma questão de tempo até que ferramentas mais fortes tenham que ser usadas de qualquer maneira. É uma pena que desta vez se perca", lamentou Zelensky.

Kremlin estará a usar munições mais rápido do que as pode repor

José Miguel Pires | há 1 mês

Os russos estarão a usar munições a um ritmo que não acompanha a sua capacidade de as repor. A informação é da diretora da Inteligência Nacional dos Estados Unidos, Avril Haines, que disse que a Rússia tem gasto o seu stock de munições "muito rapidamente".

“É realmente extraordinário, e a nossa própria perceção é que eles não são capazes de produzir localmente o que estão a gastar nesta altura”, disse, citada pela NBC.

“É por isso que os vemos a ir para outros países efetivamente para tentar obter munição... e notamos que as suas munições de precisão estão a esgotar-se esgotando muito mais rápido em muitos aspetos", continuou, realçando que os Estados Unidos “viram algum movimento” no fornecimento de munições da Coreia do Norte, “mas não tem sido muito nesta fase”.

Ritmo 'reduzido' vai-se manter nos próximos meses, dizem EUA

José Miguel Pires | há 1 mês

O ritmo "lento" de combate dos russos deverá manter-se nos próximos meses, garantiu a diretora de Inteligência Nacional norte-americana.

"Estamos a ver uma espécie de ritmo reduzido do conflito... e esperamos que seja o que veremos nos próximos meses", disse Avril Haines no Fórum de Defesa Nacional Reagan anual na Califórnia. Tanto os militares ucranianos quanto os russos procuram reequipar-se e reabastecer para preparar a resposta a uma contraofensiva após o inverno, afirmou ainda Haines.

Sobre os efeitos dos ataques russos à rede elétrica da Ucrânia e outras infraestruturas civis, a norte-americana referiu que o objetivo de Moscovo passara por minar a vontade dos ucranianos de resistir, mas tal não estará a surtir muito efeito: “Acho que não estamos a vernenhuma evidência de que isso esteja a ser prejudicado agora."

Para recordar

José Miguel Pires | há 1 mês
  • Zelensky diz que Bakhmut e Soledar são o ponto "mais quente do conflito". Os ataques russos a Bakhmut e Soledar têm marcado os últimos dias da guerra na Ucrânia, antevendo-se que o Kremlin pretende focar todas as suas forças na conquista destas localidades. "Fazemos de tudo para ajudar os nossos rapazes [tropas] nesse sentido. Os nossos heróis que estão a segurar a nossa defesa. Todos lá merecem a maior gratidão", afirmou o presidente ucraniano, agradecendo ainda separadamente "aos guardas de fronteira do destacamento Chop, que estão a lutar perto de Bakhmut e hoje [sábado] 'pousaram' outro avião dos ocupantes".
  • Ocidente deve dar garantias de segurança à Rússia. O presidente francês, Emmanuel Macron, defendeu que o Ocidente deve considerar como responder à necessidade de garantias de segurança da Rússia, caso Vladimir Putin concorde em regressar à mesa de negociações para discutir o fim da guerra na Ucrânia. 
  • Rússia diz que vai deixar de fornecer petróleo à Europa este ano. A Rússia vai deixar de fornecer petróleo à Europa este ano, depois de a União Europeia (UE) ter limitado o preço do crude de Moscovo, anunciou no sábado o embaixador do país junto das instituições internacionais.
  • Vladimir Putin vai visitar Donbass. Segundo avançou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, citado pela agência russa TASS, o presidente russo vai visitar a região de Donbass "a seu devido tempo". Peskov não especificou, no entanto, o local específico da visita ou a data.

Início de cobertura

José Miguel Pires | há 1 mês

Bom dia. Abrimos esta manhã a nossa cobertura AO MINUTO sobre as principais notícias da guerra na Ucrânia. Pode recordar a cobertura de sábado aqui:

AO MINUTO: Ponto "quente" da guerra em Bakhmut; Bombardeamentos em Sumy

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

Notícias ao Minuto | 07:53 - 03/12/2022

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório