Meteorologia

  • 29 JANEIRO 2023
Tempo
10º
MIN 4º MÁX 12º

Homicídios desceram na Venezuela nos últimos cinco anos

Os homicídios diminuíram nos últimos cinco anos na Venezuela, passando de 47 por cento para 6% por 100.000 habitantes, anunciou sábado o responsável policial Douglas Rico.

Homicídios desceram na Venezuela nos últimos cinco anos

"Estamos a ver uma descida importante na criminalidade, que a violência diminuiu e neste momento temos uma taxa de mortalidade de 6% por cada 100.000 habitantes. Em 2017 a taxa de mortalidade era de 47%", disse o diretor do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (CICPC, antiga Polícia Técnica Judiciária) à televisão estatal venezuelana (VTV).

Segundo o diretor do CICPC, "o trabalho feito entre todas as organizações de segurança" venezuelanas tem permitido reduzir também a impunidade, mas os criminosos estão a mudar para crimes não violentos.

"Estamos a ver que os criminosos estão a praticar crimes não violentos com as burlas, delitos informáticos, mas antes havia medo, desconfiança das pessoas nos organismos de segurança cidadã e as pessoas não denunciavam, o que gerava números negros e impunidade", afirmou.

Douglas Rico apontou que as denúncias de delitos de violência de género têm aumentado porque as mulheres estão mais motivadas para denunciar quando são agredidas pelo companheiro.

Em declarações à televisão estatal venezuelana, Douglas Rico insistiu em alertar a população que as redes sociais podem ser usadas para o bem ou para o mal, que os crimes informáticos estão a aumentar, particularmente depois da pandemia da covid-19, e que "os criminosos estão a mudar", realizando "burlas através de telemóveis".

"Nem todas as publicidades do popular Marketplace (mercado virtual), que usa a plataforma do Facebook, são boas, porque os criminosos usam essa plataforma para cometer roubos e enganar as pessoas que querem fazer compras, principalmente quando se trata de ofertas apetecíveis (de compra e venda) de viaturas", explicou Douglas Rico.

O diretor do CICPC instou ainda os venezuelanos a não darem os dados das suas contas bancárias, alertando que poderão receber depósitos de dinheiro provenientes de factos puníveis.

Dados recentes divulgados pelo Observatório Venezuelano de Violência (OVV) dão conta de que entre janeiro e setembro de 2022 foram assassinadas 1.397 pessoas na Venezuela.

No mesmo período de 2021, registaram-se 11.081 homicídios no país.

Leia Também: Estados Unidos sancionam dois políticos haitianos por narcotráfico

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório