Meteorologia

  • 01 FEVEREIRO 2023
Tempo
12º
MIN 5º MÁX 14º

EUA podem declarar Grupo Wagner como "organização terrorista"

Desde 2014 que os mercenários do grupo Wagner são acusados de servir os interesses do regime de Vladimir Putin em numerosas zonas de conflito.

EUA podem declarar Grupo Wagner como "organização terrorista"
Notícias ao Minuto

19:03 - 30/11/22 por Daniela Carrilho com Lusa

Mundo Guerra na Ucrânia

O governo de Joe Biden está a considerar considerar o Grupo Wagner como uma "organização estrangeira terrorista". A informação foi divulgada por um oficial norte-americano à televisão norte-americana CNN.

A mesma fonte refere, contudo, que ainda não foi tomada uma decisão final, estando em causa um "criterioso processo legal para fazer essa determinação".

Recorde-se que o Grupo Wagner já foi alvo de sanções pelos Estados Unidos.

Desde 2014 que os mercenários do grupo Wagner são acusados de servir os interesses do regime de Vladimir Putin em numerosas zonas de conflito, que se estendem da Síria à Ucrânia, passando por África e América do Sul.

Nos últimos meses, o grupo operou ativamente na frente ucraniana, em apoio ao exército russo. Foi ainda acusado de ter efetuado uma deslocação a diversas prisões russas e recrutar detidos para combater, em troca de uma redução das penas.

Em setembro, Evgueni Prigozhin, 61 anos, reconheceu ter fundado esta organização paramilitar, após anos de negação. No início deste mês, também admitiu ter promovido operações de ingerência eleitoral nos Estados Unidos.

Desde então, promove as suas atividades na Rússia sem encobrimento, um sinal de um reforço do seu poder desde a ofensiva do Kremlin na Ucrânia e o início de uma mobilização militar no país face aos recuos de Moscovo em diversas linhas da frente.

Em outubro, Evgueni Prigozhin abriu o atual "quartel-general" do grupo Wagner, uma torre envidraçada em São Petersburgo.

O complexo foi inaugurado oficialmente no início de novembro, mas Prigozhin afirmou que as autoridades de São Petersburgo recusaram conceder-lhe uma licença de exploração.

Face a esta recusa, Prigozhin acusou na quinta-feira o governador de São Petersburgo, Alexandre Beglov, de apoiar os interesses dos "nacionalistas ucranianos que matam russos". Os dois homens estão há longa data em conflito.

Leia Também: Anunciadas novas sanções do Reino Unido a oficiais russos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório