Meteorologia

  • 04 FEVEREIRO 2023
Tempo
MIN 7º MÁX 18º

Zelenska acusa mulheres russas de encorajar maridos a violar ucranianas

A primeira-dama ucraniana apelou a uma "resposta global" para combater este problema, que classificou como um crime de guerra.

Zelenska acusa mulheres russas de encorajar maridos a violar ucranianas
Notícias ao Minuto

09:29 - 29/11/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Ucrânia/Rússia

Marcando presença na Conferência sobre a Prevenção da Violência Sexual em Conflitos, em Londres, a primeira-dama ucraniana, Olena Zelenska, considerou que a violência sexual é “outra arma no arsenal” do exército de Moscovo, acusando as mulheres russas de encorajar os soldados a violar as mulheres ucranianas.

A violência sexual é a forma mais cruel e animalesca de provar o domínio sobre alguém. E para as vítimas desse tipo de violência é difícil testemunhar em tempos de guerra, porque ninguém se sente seguro”, disse a esposa de Volodymyr Zelensky, durante a sua intervenção, na segunda-feira.

Zelenska foi mais longe, apontando que a violência sexual é “outro instrumento que [as forças russas] estão a usar como arma”.

“É outra arma do seu arsenal nesta guerra e conflito. É por isso que estão a usar isso de forma sistemática e aberta", disse, citada pela Sky News.

Nessa linha, a responsável apontou ser “extremamente importante reconhecer isto como um crime de guerra e responsabilizar os culpados”.

Segundo Zelenska, os soldados russos abordam as violações que cometem com seus familiares, de acordo com conversas telefónicas intercetadas pela Ucrânia.

Na verdade, as esposas de soldados russos encorajam isto. Dizem ‘vai, viola essas mulheres ucranianas, mas não me contes’”, lançou.

É por isso que temos de implementar uma resposta global”, rematou.

A primeira-dama revelou ainda que “mais de 40 processos criminais sobre violência sexual cometida durante a guerra em larga escala iniciada pelos russos" já foram iniciados, admitindo, contudo, que este número "é apenas a ponta do icebergue".

De notar que, na abertura da conferência, o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, James Cleverly, anunciou um novo pacote de financiamento de até 12,5 milhões de libras (14,5 milhões de euros) para ajudar vítimas de violência sexual a processar os responsáveis.

Além disso, o Reino Unido comprometeu-se a dar 3,45 milhões de libras (quatro milhões de euros) para o Fundo de População da Organização das Nações Unidas (ONU), destinado a combater a Violência Baseada no Género na Ucrânia.

Lançada em 24 de fevereiro, a ofensiva russa na Ucrânia já causou a fuga de mais de 13 milhões de pessoas, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A entidade confirmou ainda que já morreram 6.595 civis desde o início da guerra e 10.189 ficaram feridos, sublinhando, contudo, que estes números estão muito aquém dos reais.

Leia Também: Mais de 40 casos de violência sexual na Ucrânia são "ponta do icebergue"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório