Meteorologia

  • 20 JULHO 2024
Tempo
22º
MIN 19º MÁX 27º

Ataque nuclear? Rússia "receberá uma resposta adequada do mundo inteiro"

Podolyak considerou que a utilização de armas nucleares pela Rússia irá fazer com que outros países abandonem o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares, assinado em 1968.

Ataque nuclear? Rússia "receberá uma resposta adequada do mundo inteiro"

O conselheiro presidencial ucraniano, Mykhailo Podolyak, afirmou que a Rússia "receberá uma resposta adequada do mundo inteiro" caso avance com um ataque nuclear contra a Ucrânia.

“A NATO acompanha tudo o que acontece na Rússia com armas nucleares. E a NATO adverte categoricamente a Rússia de que, se houver mesmo uma tentativa de utilização de armas nucleares, haverá uma resposta”, disse o conselheiro de Volodymyr Zelensky, em entrevista ao jornal alemão Bild, acrescentando que a Rússia “está gradualmente a reduzir as suas ameaças retóricas com armas nucleares”.

Podolyak considerou ainda que a utilização de armas nucleares pela Rússia irá fazer com que outros países abandonem o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares, assinado em 1968.

“Um Estado nuclear ameaça um Estado não-nuclear. Se a Rússia não for impedida agora, outros países irão retirar-se do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares porque qualquer guerra contra um Estado nuclear provocará perdas”, sublinhou.

E acrescentou: “A Rússia não só ameaça a Ucrânia, como quebra um elemento chave da segurança global”.

No entanto, o responsável considera que a Federação Russa não irá levar avante as suas ameaças. “Aqueles que querem utilizar armas nucleares terão uma resposta, e a Rússia parece compreender isso”, disse ao jornal alemão.

O conflito entre a Ucrânia e a Rússia começou com o objetivo, segundo Vladimir Putin, de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia. A operação foi condenada pela generalidade da comunidade internacional.

A ONU confirmou que cerca de seis mil civis morreram e nove mil ficaram feridos na guerra, sublinhando que os números reais serão muito superiores e só poderão ser conhecidos quando houver acesso a zonas cercadas ou sob intensos combates.

Leia Também: Zelensky acredita que bandeira ucraniana vai voltar "a todas as cidades"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório