Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2022
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 18º

Bielorrússia critica atribuição de Nobel a ativista Ales Bialiatski

O regime bielorrusso de Alexander Lukashenko criticou hoje a atribuição do Prémio Nobel da Paz ao ativista detido Ales Bialiatski, e afirmou que o fundador dos galardões, Alfred Nobel, "andará às voltas no túmulo".

Bielorrússia critica atribuição de Nobel a ativista Ales Bialiatski

"Nos últimos anos, uma série de decisões fundamentais, e estamos a falar do Prémio da Paz do Comité Nobel, têm sido tão politizadas que, desculpem, Alfred Nobel estará farto de andar às voltas no túmulo", escreveu na rede social Twitter o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros bielorrusso, Anatoly Glaz.

Bialiatski dividiu o Prémio Nobel da Paz de 2022 com a organização Memorial, da Rússia, e com o Centro para as Liberdades Civis, da Ucrânia, ambas defensoras e promotoras dos direitos humanos, pelo "direito de criticar o poder" e "denunciar crimes contra a humanidade".

"[O Comité Nobel norueguês] deseja homenagear três destacados defensores dos direitos humanos, democracia e coexistência pacífica nas vizinhas Bielorrússia, Rússia e Ucrânia", disse, ao anunciar os nomes dos laureados.

Bialiatski "foi um dos promotores do movimento democrático" que surgiu na Bielorrússia em meados da década de 1980, argumentou o comité.

Ainda segundo o comité, o ativista, detido desde 2021, "tem dedicado a vida a promover a democracia e o desenvolvimento pacífico no seu país de origem".

Bialiatski criou o movimento Vesná (Primavera) "em resposta às reformas constitucionais que deram poderes autoritários ao Presidente [Lukashenko], e está atualmente detido sem julgamento", lembrou Berit Reiss-Andersen, presidente do comité.

O ativista foi preso pela primeira vez em 2011 por suposta evasão fiscal, acusação que sempre negou, e detido novamente em 2021, após os protestos que abalaram a Bielorrússia pelos resultados das eleições presidenciais, descritas como fraudulentas pela oposição e pelo Ocidente e que levaram à reeleição de Lukashenko como Presidente da Bielorrússia.

Leia Também: Nobel da Paz mostra que "não há paz sem respeito pelos direitos humanos"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório