Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2022
Tempo
12º
MIN 8º MÁX 19º

Biden anuncia perdão de condenados por "posse simples" de canábis

"Ninguém deveria estar na prisão apenas por usar ou possuir canábis", defendeu o presidente norte-americano.

Biden anuncia perdão de condenados por "posse simples" de canábis
Notícias ao Minuto

22:56 - 06/10/22 por Notícias ao Minuto com Lusa

Mundo EUA

O presidente dos Estados Unidos da América, Joe Biden, anunciou, esta quinta-feira, que irá perdoar todos os condenados por "posse simples de canábis".

“Anuncio o perdão de todos os crimes federais anteriores por posse simples de canábis”, afirmou o chefe de Estado, numa publicação na rede social Twitter, onde instou ainda os governadores a estender a clemência a quem tenha violado leis estatais que criminalizam a posse de canábis. 

“Como eu disse muitas vezes durante a minha campanha presidencial, ninguém deveria estar na prisão apenas por usar ou possuir canábis. Enviar pessoas para a prisão por posse de canábis mudou demasiadas vidas e prendeu pessoas por conduta que muitos Estados já não proíbem”, acrescentou.

Biden reconheceu que as pessoas de raça não caucasiana são "desproporcionalmente" mais afetadas pelas condenações por posse de canábis, o que, além da pena de prisão, desencadeia anos de consequências legais e cria dificuldades em arranjar emprego e no acesso à educação.

“Tal como ninguém deveria estar numa prisão federal apenas por posse de canábis, ninguém deveria estar numa prisão local ou estatal por esse motivo”, frisou.

De acordo com a Casa Branca, ninguém está atualmente na prisão federal apenas por "posse simples" dessa droga, mas o perdão pode ajudar milhares a superar obstáculos para alugar uma casa ou encontrar um emprego.

"Existem milhares de pessoas que têm condenações federais anteriores por posse de canábis, a quem lhe podem ser negado emprego, moradia ou oportunidades educacionais como resultado. A minha ação ajudará a aliviar essas consequências colaterais", disse.

O perdão não cobre condenações por posse de outras drogas ou por acusações relacionadas à produção ou posse de canábis com a intenção de distribuir. Biden também não está a perdoar cidadãos que estavam nos Estados Unidos sem estatuto legal no momento da sua detenção.

O Departamento de Justiça está a trabalhar para elaborar um processo para que aqueles abrangidos pela medida de Biden recebam um certificado de perdão, para que possam mostrá-lo a potenciais empregadores em caso de necessidade.

"O Departamento de Justiça administrará rapidamente a proclamação do Presidente, que perdoa indivíduos que se envolveram na simples posse de canábis, restaurando direitos políticos, civis e outros aos condenados por essa ofensa", disse o Departamento em comunicado.

Biden está também a orientar o secretário de Saúde e Serviços Humanos e o procurador-geral norte-americano a reverem como é que a canábis está avaliada sob a lei federal, de forma a reduzir ou potencialmente eliminar as penalidades criminais por posse.

Nos Estados Unidos, a canábis é atualmente classificada como uma droga da Classe I, ao lado da heroína e do LSD, mas à frente do fentanil e da metanfetamina. A Casa Branca não estabeleceu um cronograma para a revisão.

Biden disse acreditar que, à medida que o Governo federal e muitos estados flexibilizam as leis sobre a canábis, devem manter limitações ao tráfico, marketing e vendas a menores de idade.

A medida de Biden coloca o Governo federal na mesma direção trilhada por outras grandes cidades, como Nova Iorque, que há anos caminham para descriminalizar as prisões por canábis de baixo nível.

Mas há uma grande divisão no país, já que alguns departamentos de polícia ainda acreditam que a droga leva a crimes mais graves e ignorar ofensas de baixo nível encoraja os criminosos.

Grupos de advogados elogiaram o anúncio de Biden, com Kassandra Frederique, diretora executiva da 'Drug Policy Alliance', a dizer que a organização estava "entusiasmada".

"Isso está incrivelmente atrasado", disse Frederique. "Não há razão para que as pessoas tenham antecedentes criminais -- impedindo-as de obter emprego, moradia e inúmeras outras oportunidades -- por algo que já é legal em 19 estados e no Distrito da Colúmbia e descriminalizado em 31 estados", acrescentou.

O reverendo Al Sharpton, presidente da 'National Action Network', disse que a "ação justa de Biden hoje devolverá a vida a inúmeros americanos".

Leia Também: Biden admite reunir-se com Putin durante cimeira do G20

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório