Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2022
Tempo
18º
MIN 8º MÁX 19º

Parkland. Atirador escolheu Dia dos Namorados de propósito para massacre

"Ninguém me ia amar", explicou Nikolas Cruz.

Parkland. Atirador escolheu Dia dos Namorados de propósito para massacre

O atirador que levou a cabo um tiroteio numa escola Secundária em Parkland, nos Estados Unidos (EUA), em 2018, contou a um psicólogo que a data não foi escolhido ao acaso.

De acordo com a Associated Press, Nikolas Cruz escolheu o 14 de fevereiro, Dia dos Namorados, porque queria estragar a data comemorativa para todos os que estivessem associados à escola.

"Ninguém me ia amar", confessou, num vídeo enquanto era analisado. "Não gostava do Dia dos Namorados e queria estragá-lo para todas as pessoas", acrescentou.

As declarações foram gravadas numa das sessões com Cruz, que matou 17 pessoas nesse dia, na esperança de que pudessem provar que o massacre não foi motivado por um distúrbio mental, mas sim por uma escolha.

As imagens foram mostradas aos jurados pelos procuradores, que querem que o Cruz, agora com 24 anos, seja condenado à pena de morte. Caso haja um dos 12 jurados que não concorde com pena de morte, o jovem será condenado a pena de prisão perpétua sem possibilidade liberdade condicional.

Os advogados de defesa do jovem, que o ano passado se declarou culpado pelo massacre, um dos mais mortíferos dos EUA, alegam que os problemas com o álcool que a mãe do suspeito tinha quando estava grávida fizeram com que este ficasse com um transtorno do espetro alcoólico. De acordo com estes responsáveis, esta situação terá levado a que o jovem tenha tido episódios de violência bizarros, que resultaram neste massacre.

Robert Denney foi o responsável por entrevistar Cruz, e já testemunhou sobre este caso. Na quinta-feira, reiterou que o suspeito terá distúrbios de personalidade, alegando mesmo que este é um sociopata.

Denney  disse ainda que Cruz estava consciente da realidade e que conseguia controlar as suas ações.

Outros episódios de violência já foram confessados por Cruz, nomeadamente, com torturas a lagartos enquanto era criança.. "Queimei, torturei e tirei-lhes a pele enquanto estavam vivos - e matei-os", confessou, explicando que depois brincava com os cadáveres ou "que os comia".

Nikolas Cruz, de 19 anos, matou a tiro 17 pessoas. O tiroteio abriu um debate sobre a posse de armas na América, com o presidente na altura, Donald Trump, a manifestar a intenção de dar armas aos professores para prevenir mais incidentes nas escolas, dizendo que a medida abrangeria docentes com "treino especial" e "solucionaria o problema instantaneamente".

Leia Também: Pelo menos um morto em tiroteio em hotel nos EUA. Suspeito está barricado

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório