Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2022
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 17º

Colômbia. Governo e guerrilha ELN retomam conversações de paz em novembro

O Governo da Colômbia e o grupo de guerrilha Exército de Libertação Nacional (ELN) confirmaram hoje em Caracas o reatamento na primeira semana de novembro das conversações de paz, abandonadas desde 2019.

Colômbia. Governo e guerrilha ELN retomam conversações de paz em novembro

Delegados de ambas as partes convocaram uma conferência de imprensa na capital venezuelana, onde, acompanhados por representantes da Igreja Católica e de Cuba e da Noruega, ambos países garantes, confirmaram o reinício das negociações.

Horas depois, o Presidente colombiano, Gustavo Petro, partilhou nas suas redes sociais um comunicado conjunto em que tanto o Governo como o ELN confirmam o retorno ao caminho dos acordos e dos avanços obtidos nas conversações de 2016.

"Anuncia-se o restabelecimento do processo de diálogo na primeira semana do mês de novembro de 2022", indica a nota, na qual também se refere que a participação da sociedade civil nas conversações de paz é "essencial".

O Alto-Comissário para a Paz na Colômbia, Ivan Danilo Rueda, o primeiro comandante do ELN, António García, e o segundo comandante da guerrilha, Pablo Beltrán, assinam o comunicado, no qual também se agradece o papel dos países garantes, da Igreja Católica e da Missão de Verificação das Nações Unidas.

Já na segunda-feira, a delegação negocial do ELN se deslocou de Cuba para a Venezuela para iniciar as conversações com representantes do Estado colombiano, depois de o Governo ter desistido da exigência de extradição de alguns líderes guerrilheiros.

"Elimina-se naturalmente o pedido de extradição. Falar com uma pessoa procurando a paz e, ao mesmo tempo, estar a solicitar a sua extradição seria um disparate e seria também uma espécie de declaração de guerra eterna -- nós estamos comprometidos com a paz total", explicou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Álvaro Leyva.

Assim, o Governo da Colômbia e a guerrilha do Exército de Libertação Nacional retomam o caminho do diálogo para alcançar a paz, suspenso desde 2018, com a chegada à Presidência da República de Iván Duque, e definitivamente abandonado após um atentado do ELN a uma escola de Polícia em Bogotá em 2019, que fez 23 mortos e quase cem feridos.

Agora, o novo chefe de Estado, Gustavo Petro, insistiu em repetidas ocasiões na necessidade de chegar a acordo sobre o fim dos confrontos e mostrou-se, inclusive, a favor de alcançar um pacto de "paz total" com todos os agentes armados da Colômbia.

Leia Também: EUA pedem o mesmo civismo. Argentina, Colômbia e México felicitam Lula

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório