Meteorologia

  • 01 DEZEMBRO 2022
Tempo
14º
MIN 10º MÁX 15º

Polícia indonésia critica saídas do estádio onde morreram 131 pessoas

Os portões portas de saída do estádio Kanjuruhan, em Malang, onde no sábado morreram 131 pessoas devido a distúrbios após um jogo de futebol, são demasiado pequenas, anunciou hoje a polícia indonésia.

Polícia indonésia critica saídas do estádio onde morreram 131 pessoas

As autoridades divulgaram fotos de seis dos 14 portões do estádio, junto aos quais ocorreu a maioria dos incidentes, que começaram quando cerca de 3.000 adeptos invadiram o campo após a derrota da equipa da casa, o Arema FC, frente aos rivais do Persebaya Surabaya, por 3-2.

"Esses portões estavam abertos, mas são muito pequenos. Dava para passar duas pessoas e havia centenas a tentar sair", explicou Dedi Prasetyo, porta-voz da polícia, acrescentando que as zonas de saída são da responsabilidade dos organizadores do evento.

O jogo contou apenas com a presença de adeptos da equipa da casa, o Arema FC, uma vez que os organizadores proibiram a presença de simpatizantes do Persebaya Surabaya, devido ao historial de rivalidade e violência no futebol indonésio.

Segundo testemunhas, os incidentes aconteceram no final do encontro, no qual o Arema FC sofreu perdeu pela primeira vez com o Persebaya Surabaia nos últimos 23 anos, quando adeptos da equipa da casa invqadiram o relvado e começaram a atirar objetos aos jogadores e equipa técnica.

No exterior do estádio, pelo menos cinco veículos da polícia foram incendiados.

A polícia usou gás lacrimogéneo para tentar controlar os adeptos em fúria, mas a sua ação acabou por provocar o pânico, com milhares de pessoas a precipitarem-se para a saída.

Muitas das pessoas morreram espezinhadas no caos da debandada, e os tumultos estenderam-se ao exterior do estádio.

As autoridades indonésias disseram inicialmente que os tumultos provocaram 174 mortos, mas o número oficial foi entretanto revisto para 131, embora possa aumentar por haver muitos feridos em estado crítico.

O campeonato indonésio foi suspenso e as autoridades ordenaram um inquérito aos incidentes.

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) decretou o cumprimento de um minuto de silêncio nas competições por si organizadas, nomeadamente a Taça de Portugal, em memória das vítimas da tragédia ocorrida na Indonésia.

Leia Também: Número de mortos em distúrbios em estádio na Indonésia sobe para 131

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório