Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2022
Tempo
MIN 7º MÁX 14º

AO MINUTO: Avanços "rápidos e poderosos"; Câmara de tortura em Kharkiv

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

AO MINUTO: Avanços "rápidos e poderosos"; Câmara de tortura em Kharkiv
Notícias ao Minuto

07:47 - 04/10/22 por Notícias ao Minuto

Ao Minuto Mundo Ucrânia/Rússia

Naquele que é o 222.º dia da invasão russa à Ucrânia, a Rússia terá perdido o controlo das quatro províncias que diz ter anexado a semana passada, depois de as tropas ucranianas terem avançado dezenas de quilómetros na província de Kherson. Com o presidente ucraniano a referir que os sucessos militares não se ficavam por aí, mas também em Lyman.

O embaixador russo em Lisboa, Mikhail Kamynin, transmitiu, na segunda-feira, ao Governo português que a realização de referendos nas regiões ucranianas anexadas pela Rússia corresponde a "um direito consagrado na Carta das Nações Unidas".

Na noite de ontem, foi divulgado que a Ucrânia deverá fazer parte da candidatura conjunta de Portugal e Espanha para organizar o Mundial 2030. Segundo o jornal britânico Times, a nova parceria deverá ser oficialmente anunciada pelos dois países durante uma conferência de imprensa na sede da UEFA, na quarta-feira.

Fim de cobertura

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

Boa noite. Encerramos aqui mais um acompanhamento AO MINUTO da guerra na Ucrânia. Abriremos um novo registo na manhã de quarta-feira. Obrigada por ter estado desse lado.

Ucrânia? Anexações da Rússia "exacerbam as violações de direitos humanos

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

A anexação de territórios ucranianos pela Rússia apenas agravará as violações de direitos humanos cometidas por Moscovo e aumentará o "sofrimento e devastação incalculáveis infligidos aos ucranianos", denunciou esta terça-feira a ONU.

Christian Salazar Volkmann, que apresentou um relatório sobre a situação dos direitos humanos na Ucrânia ao Conselho de Direitos Humanos em Genebra, destacou as evidências recolhidas pelo Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos sobre "uma série de violações dos direitos à vida, liberdade e segurança".

Rússia censura o Cazaquistão por não expulsar embaixador ucraniano

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

O governo russo convocou o embaixador do Cazaquistão em Moscovo, Yermek Kosherbayev, para protestar formalmente por o embaixador ucraniano em Astana, Petro Vrublevsky, não ter sido expulso, depois de feito comentários antirrussos. Segundo um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Vrublevsky pediu que se acabasse com o maior número possível de russos, "transgredindo, assim, todos os limites do comportamento civilizado".

Governador do banco central da Ucrânia renuncia ao cargo

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

O governador do Banco Central da Ucrânia, Kyrylo Shevchenko, anunciou hoje no Facebook a renuncia ao cargo por motivos de "saúde", mais de sete meses depois do início do conflito russo-ucraniano. "Enviei ao presidente [Volodymyr Zelensky] o pedido para aceitar a minha demissão", escreveu, especificando que foi uma "decisão difícil" tomada por "razões racionadas à [sua] saúde".

"Crimes de guerra". Câmara de tortura descoberta na região de Kharkiv

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

A Polícia Nacional da Ucrânia revelou, na segunda-feira, que foi descoberta uma nova câmara de tortura na aldeia de Pisky-Radkivski, na região de Kharkiv, que foi recentemente recuperada das tropas russas. Segundo a autoridade, num comunicado publicado nas redes sociais, a câmara de tortura foi descoberta na cave de uma habitação.

“Outra câmara de tortura dos ocupantes russos. Após a desocupação, os nossos polícias estão a documentar aqui crimes de guerra do exército de 'libertadores'”, escreveu a Polícia Nacional, na descrição de um vídeo que mostra a descoberta.

Rússia está a mover armas nucleares? Pentágono sem informações

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

O Pentágono afirmou, esta terça-feira, que não tem informações que corroborem os relatórios que sugerem que a Rússia pode estar a movimentar armas nucleares por via ferroviária.

“Não tenho mais nada para além dos relatórios de fonte aberta”, disse Laura Cooper, uma dirigente do Departamento de Defesa centrada na Rússia e na Ucrânia, citada pela agência de notícias Reuters.

Segundo a responsável, os militares dos Estados Unidos da América (EUA) também não detetaram nada que possa levar a uma mudança na postura nuclear. 

 

Zelensky agradece a Biden novo pacote de ajuda militar

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, agradeceu, esta terça-feira, ao seu homólogo norte-americano, Joe Biden, o novo pacote de ajuda militar ao país de 625 milhões de dólares [627,3 milhões de euros]. Na rede social Twitter, Zelensky considerou o pacote um “apoio substancial para a Ucrânia” e afirmou que “como de costume” teve uma “chamada telefónica significativa” com Biden.

“As nossas vitórias no âmbito da operação de defesa em curso são um sucesso conjunto da Ucrânia, dos Estados Unidos e de todo o mundo livre”, sublinhou.

 

Zelensky aponta avanços "rápidos e poderosos" dos ucranianos no sul

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, destacou hoje que as forças ucranianas estão a alcançar avanços "rápidos e poderosos" no sul do país, acrescentando que "dezenas" de localidades foram reconquistadas esta semana nas quatro regiões recentemente anexadas por Moscovo.

"Estão no inferno". Mulher de militar de Azovstal apela à sua libertação

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

A mulher de um militar ucraniano detido por tropas russas após a rendição dos combatentes da siderúrgica de Azovstal - o último reduto da resistência ucraniana em Mariupol - apelou, esta terça-feira, à libertação dos soldados ainda sob cativeiro russo.

No final do mês de setembro, a Ucrânia anunciou que trocou com a Rússia 215 prisioneiros de guerra, entre os quais os chefes da defesa de Azovstal, que se haviam rendido em maio. No entanto, não foi o caso do marido de Liliia Stupina, uma jovem de 24 anos que trabalhava como analista de dados e deixou o emprego para lutar pela libertação do companheiro.

Saiba mais aqui.

Chefe da AIEA em Kyiv e Moscovo para discutir segurança em Zaporíjia

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) anunciou hoje que o seu diretor-geral irá esta semana a Kyiv e depois a Moscovo, para discutir a instalação de uma zona de segurança em torno da central nuclear ucraniana de Zaporíjia.

Rafael Grossi, que lidera a AIEA, vai "prosseguir as consultas" para estabelecer esse dispositivo "logo que possível", indicou em comunicado o organismo da ONU para o nuclear, sem precisar quando é esperado nos dois países, envolvidos numa guerra há mais de sete meses.

Gazprom ameaça cortar gás à Moldova se dívidas não forem pagas

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

A russa Gazprom ameaçou hoje cortar o fornecimento de gás à Moldova e rescindir o contrato, se o país não pagar as suas dívidas até 20 de outubro.

"A Gazprom reserva todos os seus direitos, incluindo a cessão total do fornecimento, caso os compromissos de pagamento não sejam cumpridos até 20 de outubro de 2022, bem como o direito de rescindir o contrato a qualquer momento", indicou, através de uma publicação na rede social Telegram.

EUA anunciam novo pacote de 627,3 milhões em ajuda militar a Kyiv

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

O presidente norte-americano, Joe Biden, informou hoje o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, da concessão de um novo pacote de ajuda militar de 625 milhões de dólares (627,3 milhões de euros).

De acordo com um comunicado da Casa Branca, Biden, que estava acompanhado pela sua vice-presidente, Kamala Harris, durante a chamada com Zelensky, reiterou o apoio dos Estados Unidos da América (EUA) à defesa da Ucrânia contra a invasão russa pelo "tempo que for necessário".

Meloni diz a Zelensky que anexações "não têm valor jurídico e político"

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

Georgia Meloni, recentemente eleita primeira-ministra de Itália, conversou, esta terça-feira, com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, a quem transmitiu que a anexação de quatro regiões ucranianas pela Rússia “não tem valor jurídico e político” para Roma.

Segundo revelou o partido de Meloni, o Irmãos de Itália, Zelensky felicitou Meloni pela vitória e disse “estar certo de poder contar com uma colaboração frutífera com o próximo governo italiano”. O presidente ucraniano agradeceu ainda o envio de armas e convidou a líder de extrema-direita a visitar Kyiv.

Já Meloni “confirmou o seu total apoio à causa da liberdade do povo ucraniano” e “reiterou que a declaração de anexação de quatro regiões ucranianas pela Federação Russa não tem valor jurídico e político”.

Assembleia-Geral da ONU debate anexações russas na segunda-feira

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

A Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU) irá reunir-se na próxima segunda-feira para discutir a anexação de territórios ucranianos pela Rússia, sendo esperada posteriormente a votação de uma resolução que condene a ação de Moscovo. A reunião surge na sequência de um veto imposto pela Rússia numa resolução que foi a votos, na semana passada, no Conselho de Segurança da ONU e que condenava a anexação russa de quatro regiões do leste e do sul da Ucrânia.

O anúncio da reunião foi feito pelo presidente da Assembleia-Geral, o húngaro Csaba Korosi, numa carta enviada aos Estados-membros.

Ucrânia: Assembleia-Geral da ONU debate anexações russas na segunda-feira

A Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU) irá reunir-se na próxima segunda-feira para discutir a anexação de territórios ucranianos pela Rússia, sendo esperada posteriormente a votação de uma resolução que condene a ação de Moscovo.

Lusa | 17:55 - 04/10/2022

Kyiv admite reativar dois reatores da central nuclear de Zaporíjia

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

A Ucrânia está a considerar reiniciar a central nuclear de Zaporíjia, ocupada por tropas russas, para garantir a segurança da infraestrutura, semanas depois de ter sido desativada por receios de uma fuga de radioatividade, indicou hoje o operador ucraniano

África deve olhar para a Covid-19 e a guerra como "oportunidades"

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

A conselheira especial das Nações Unidas para África disse hoje que o continente africano deve olhar para a Covid-19 e para a guerra na Ucrânia "como oportunidades", defendendo que é necessário quebrar três paradoxos para se recuperar destas crises.
   
Em declarações à agência Lusa, à margem da 15.ª Conferência Internacional sobre Teoria e Prática de Governação Eletrónica (ICEGOV 2022), que decorre entre hoje e sexta-feira, em Guimarães, distrito de Braga, Cristina Duarte considerou que "estes choques externos criaram ruturas que as rotinas não criam".

Equipa de Alexei Navalny reativa movimento político de oposição a Putin

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

A equipa de Alexei Navalny anunciou hoje a reativação do movimento político do opositor atualmente detido, constituído por uma vasta rede de escritórios em toda a Rússia que foi declarado "extremista" em 2021 e ilegalizado pela justiça russa.

"Dezenas de milhares de pessoas na Rússia e na Ucrânia já morreram, e se nada for feito agora, centenas de milhares mais morrerão. Vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para evitar isto", disse a equipa de Navalny na sua página na plataforma de mensagens instantâneas Telegram.

Ucrânia revela ter recuperado localidade na região de Kherson

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

O Ministério da Defesa da Ucrânia revelou, esta terça-feira, que as forças do país recuperaram a localidade de Davydiv Brid, na região de Kherson, e que os tropas estão “a avançar com confiança em direção ao Mar Negro”.

“A bandeira ucraniana voa novamente sobre a aldeia de Davydiv Brid, região de Kherson. Os militares ucranianos estão a avançar com confiança em direção ao Mar Negro”, escreveu o ministério na rede social Twitter.

 

ONU confirma 6.114 civis mortos e 9.132 feridos na guerra na Ucrânia

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) confirmou, na segunda-feira, que a invasão russa da Ucrânia já provocou, pelo menos, 14.248 baixas civis: 6.114 mortos e 9.132 feridos

Segundo a ONU, com dados atualizados até 2 de outubro, das 6.114 vítimas mortais, 2.380 são homens, 1.633 mulheres, 162 menores do sexo feminino e 193 do masculino. Há ainda 1.711 adultos cujo sexo ainda é desconhecido. No que diz respeito aos 9.132 feridos, 1.912 são homens, 1.382 mulheres, 196 menores do sexo feminino, 268 do masculino e há 5.148 adultos cujo sexo ainda não foi possível identificar.

Reino Unido alerta Rússia que uso de armas nucleares terá consequências

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, James Cleverly, defendeu, esta terça-feira, que os erros estratégicos do presidente da Rússia, Vladimir Putin, têm de parar e que o uso de armas nucleares terá consequências, segundo reporta a agência de notícias Reuters.

 

Lukashenko acusa Ucrânia de "constantes provocações" na fronteira

Márcia Guímaro Rodrigues | há 1 mês

O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, acusou, esta terça-feira, a Ucrânia de enviar 15 mil soldados para a zona fronteiriça e acusou o país vizinho de “constantes provocações”. Segundo o presidente, citado pela agência de notícias estatal BelTA, as tropas ucranianas terão bloqueado estradas e criado postos de controlo.

Saiba mais aqui.

Putin altera chefias militares perante avanços de Kyiv, revela relatório

Sara Gouveia | há 1 mês

As forças ucranianas continuam a reconquistar território na zona de Kherson, no sul da Ucrânia, enquanto o presidente russo, Vladimir Putin, altera chefias militares no terreno, apontaram hoje os analistas de um 'think-tank' (grupo de reflexão) norte-americano.

A análise é do Instituto para o Estudo da Guerra (ISW, na sigla em inglês) que diariamente divulga relatórios sobre a invasão russa em curso no território ucraniano.

As forças ucranianas estão a "obter ganhos substanciais" nos arredores de Lyman, a cidade recentemente reconquistada às forças russas, e a norte de Kherson, nas últimas 48 horas, de acordo com imagens geolocalizadas obtidas pelo ISW.

Putin altera chefias militares perante avanços de Kyiv, revela relatório

As forças ucranianas continuam a reconquistar território na zona de Kherson, no sul da Ucrânia, enquanto o Presidente russo, Vladimir Putin, altera chefias militares no terreno, apontaram hoje os analistas de um 'think-tank' (grupo de reflexão) norte-americano.

Lusa | 15:57 - 04/10/2022

Governo de Espanha "apoia" inclusão da Ucrânia na candidatura Ibérica

Sara Gouveia | há 1 mês

O governo de Espanha manifestou hoje o seu "apoio" à inclusão da Ucrânia na candidatura conjunta ibérica à organização do Campeonato do Mundo de futebol de 2030, acreditando que o desporto e a paz devem estar sempre juntos.

"É claro que o governo apoiaria a inclusão da Ucrânia na candidatura ibérica por um motivo: vincular o desporto à paz é sempre uma boa notícia", justificou a porta-voz do Executivo, Isabel Rodríguez.

O jornal inglês The Times noticiou segunda-feira que os governos de Portugal e Espanha já tinham dado o seu acordo â inclusão da Ucrânia na proposta, o mesmo acontecendo com o seu presidente, Volodymyr Zelensky.

Na quarta-feira, na sede da UEFA, em Nyon, Suíça, os presidentes da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), respetivamente Fernando Gomes e Luis Rubiales, vão promover uma conferência de imprensa para falar do tema.

Kremlin elogia tweet controverso de Elon Musk sobre guerra na Ucrânia

Sara Gouveia | há 1 mês

O Kremlin elogiou Elon Musk, esta terça-feira, por ter publicado uma sondagem controversa no Twitter, onde incluía ideias para terminar com a guerra na Ucrânia, depois de Kyiv o ter repreendido por propor termos vistos como recompensadores para a Rússia.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse numa conferência de imprensa, citado pelo Guardian, que ser "muito positivo que alguém como Elon Musk esteja a tentar encontrar uma saída pacífica para esta situação".

"Comparado com muitos diplomatas profissionais, Musk ainda está a procurar formas de chegar à paz. E alcançar a paz sem tentar corresponder às condições russas é absolutamente impossível", acrescentou.

Kremlin elogia tweet controverso de Elon Musk sobre guerra na Ucrânia

O dono da Tesla sugeriu um 'plano de paz' para acabar com a guerra.

Notícias ao Minuto | 15:26 - 04/10/2022

Reino Unido prolonga envio de sistema de defesa antimísseis para Kyiv

Sara Gouveia | há 1 mês

O governo britânico anunciou hoje a intenção de prolongar o envio do sistema de defesa antimísseis "Sky Sabre" para a Polónia, no contexto da invasão russa da Ucrânia.

A medida foi confirmada pelo ministro da Defesa britânico, Ben Wallace, durante uma visita à cidade polaca de Zamosc para inspecionar uma unidade militar polaca, indicou a televisão pública TVP. "Decidimos prolongar o envio dos nossos sistemas antiaéreos de médio alcance para garantirmos que a Polónia está fora de perigo enquanto ajuda a Ucrânia", assegurou Wallace, sem especificar durante quanto tempo se manterá a decisão.

Reino Unido prolonga envio de sistema de defesa antimísseis para Kyiv

O governo britânico anunciou hoje a intenção de prolongar o envio do sistema de defesa antimísseis "Sky Sabre" para a Polónia, no contexto da invasão russa da Ucrânia.

Lusa | 15:35 - 04/10/2022

Cidade finlandesa remove última estátua de Lenine exposta publicamente

Sara Gouveia | há 1 mês

Uma cidade no sudeste da Finlândia removeu a última estátua do antigo líder soviético Vladimir Lenine, exibida publicamente no país, depois de os habitantes locais começarem a fazer pressão devido à invasão russa da Ucrânia. Um grupo de trabalhadores de construção civil, em Kotka, uma cidade portuária de 52 mil habitantes, não muito longe da fronteira com a Rússia, pôs a estátua num camião, esta terça-feira, e levou-a para o armazém de um museu local.

Foi oferecido a Kotka, em 1979, como um presente da cidade amiga de Tallinn, na altura a capital da república soviética da Estónia e agora capital da nação báltica da Estónia.

Notícias ao Minuto© Getty Images

UE saúda retirada da Rússia de conselho da organização da aviação civil

Sara Gouveia | há 1 mês

A União Europeia (UE) saudou hoje o acordo alcançado na Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO) para retirar a Rússia do seu corpo dirigente no próximo mandato, destacando as "graves violações" das regras internacionais por parte de Moscovo.

"A UE congratula-se com o acordo hoje celebrado na 41.ª Assembleia da ICAO para retirar a Rússia do seu Conselho para o próximo mandato de três anos. Esta decisão sem precedentes foi tomada num contexto de graves violações por parte da Rússia das regras da aviação internacional desde o início da sua guerra de agressão contra a Ucrânia", indica a Comissão Europeia numa posição hoje divulgada.

A retirada do corpo dirigente da ICAO surge depois de a organização ter condenado, em agosto passado, as ações da Rússia para contornar as sanções na aviação aplicadas pela UE devido à invasão da Ucrânia, com o bloco comunitário a saudar na altura esta deliberação e a criticar a "violação deliberada" de requisitos de segurança.

UE saúda retirada da Rússia de conselho da organização da aviação civil

A União Europeia (UE) saudou hoje o acordo alcançado na Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO) para retirar a Rússia do seu corpo dirigente no próximo mandato, destacando as "graves violações" das regras internacionais por parte de Moscovo.

Lusa | 15:09 - 04/10/2022

Distribuídos comprimidos de iodeto de potássio em Kyiv

Sara Gouveia | há 1 mês

A cidade de Kyiv está a distribuir aos centros de alojamento temporário comprimidos de iodeto de potássio, preparando a resposta na eventualidade de um ataque nuclear na capital ucraniana, a maior cidade. Os comprimidos podem ajudar a bloquear a absorção de radiação nociva pela tiroide caso sejam tomadas imediatamente antes ou após a exposição à radiação nuclear.

Os comprimidos serão distribuídos aos moradores em áreas contaminadas, caso seja necessário avançar para a evacuação, segundo explicou a autarquia num comunicado, citado pelo The Telegraph.

Pró-russos de regiões anexadas reconhecem avanço das forças ucranianas

Sara Gouveia | há 1 mês

As autoridades pró-russas de Lugansk e Kherson reconheceram hoje que as forças ucranianas estão a tentar romper as suas defesas em algumas zonas das duas regiões anexadas pela Rússia, mas disseram que estão a resistir.

O porta-voz militar de Lugansk (leste), Andrei Marochko, disse à agência oficial russa TASS que as tropas ucranianas avançaram até perto da cidade de Kreminna, onde as forças leais a Moscovo estão a tentar resistir. "A situação na cidade de Kreminna está mais ou menos calma, sob controlo, mas o inimigo não para de tentar romper a nossa linha de defesa", disse Marochko, segundo a agência espanhola EFE.

Marochko disse que as forças ucranianas sofreram "enormes perdas", mas admitiu que, apesar disso, "estão a tentar avançar".

OIM começa a dar ajuda humanitária a milhares de deslocados de Kharkiv

Sara Gouveia | há 1 mês

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) anunciou hoje ter começado a dar ajuda humanitária aos deslocados na região ucraniana de Kharkiv, onde vivem quase 400 mil pessoas sem água, eletricidade ou aquecimento para enfrentar o inverno.

"Pela primeira vez, desde o início da guerra na Ucrânia", a OIM conseguiu dar assistência vital a comunidades "em desespero" que não tinham acesso a ajuda humanitária, anunciou hoje a organização das Nações Unidas, em comunicado.

De acordo com a OIM, há cerca de 400 mil deslocados internos em Kharkiv, região da Ucrânia ocupada pelos militares russos e que, face à contraofensiva de Kiev, foi anexada ilegalmente pelos russos na semana passada, com base nos alegados resultados de um referendo que a maior parte da comunidade internacional não reconheceu.

OIM começa a dar ajuda humanitária a milhares de deslocados de Kharkiv

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) anunciou hoje ter começado a dar ajuda humanitária aos deslocados na região ucraniana de Kharkiv, onde vivem quase 400 mil pessoas sem água, eletricidade ou aquecimento para enfrentar o inverno.

Lusa | 13:25 - 04/10/2022

UE chama diplomata russo para condenar anexações que nunca reconhecerá

Sara Gouveia | há 1 mês

O corpo diplomático europeu convocou o encarregado de negócios da missão da Rússia junto da União Europeia para lhe transmitir a "firme rejeição" da anexação ilegal de regiões da Ucrânia na sequência de referendos fraudulentos, que jamais reconhecerá.

Em comunicado hoje divulgado, o Serviço Europeu de Ação Externa indica que o seu diretor executivo para a Rússia, Michael Siebert, convocou na segunda-feira o Encarregado de Negócios da missão da Federação Russa em Bruxelas, Kirill Logvinov, no quadro de uma ação coordenada com todos os Estados-membros da UE, ao abrigo da qual também o embaixador russo em Lisboa foi convocado pelo ministério dos Negócios Estrangeiros.

UE chama diplomata russo para condenar anexações que nunca reconhecerá

O corpo diplomático europeu convocou o encarregado de negócios da missão da Rússia junto da União Europeia para lhe transmitir a "firme rejeição" da anexação ilegal de regiões da Ucrânia na sequência de referendos fraudulentos, que jamais reconhecerá.

Lusa | 10:38 - 04/10/2022

Bruxelas quer mecanismo europeu de empréstimos para apoiar famílias na UE

Sara Gouveia | há 1 mês

O comissário europeu da Economia, Paolo Gentiloni, defendeu hoje a criação de um mecanismo europeu temporário, baseado em empréstimos em condições favoráveis, para os países da União Europeia (UE) apoiarem famílias e empresas devido à crise energética.

"Se queremos evitar a fragmentação, se queremos enfrentar esta crise, penso que precisamos de um nível mais elevado de solidariedade e precisamos de pôr em prática mais alguns instrumentos comuns e, por exemplo, o que fizemos com o mecanismo SURE durante a pandemia foi uma proposta interessante", afirmou Paolo Gentiloni.

As tensões geopolíticas devido à guerra na Ucrânia têm afetado o mercado energético europeu, desde logo porque a UE depende dos combustíveis fósseis russos, como o gás, e teme cortes no fornecimento este outono e inverno.

Bruxelas quer mecanismo europeu de empréstimos para apoiar famílias na UE

O comissário europeu da Economia, Paolo Gentiloni, defendeu hoje a criação de um mecanismo europeu temporário, baseado em empréstimos em condições favoráveis, para os países da União Europeia (UE) apoiarem famílias e empresas devido à crise energética.

Lusa | 10:28 - 04/10/2022

Putin deve assinar leis para anexar as quatro regiões ucranianas hoje

Sara Gouveia | há 1 mês

O presidente Vladimir Putin deverá assinar as leis para incorporar as quatro regiões ucranianas na Rússia ainda esta terça-feira, de acordo com o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. Aos jornalistas, Peskov disse que a "operação militar especial" na Ucrânia não terminará se Kyiv descartar as negociações, acrescentando que "são necessários dois lados para negociar".

"Vamos esperar que o atual presidente mude de posição ou que o próximo presidente mude de posição no interesse do povo ucraniano", atirou.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy assinou um decreto hoje declarando formalmente qualquer conversa entre Kyiv e o presidente Vladimir Putin como "impossível", mas deixou a porta aberta para conversas com a Rússia. 

Mais cedo, o senado russo ratificou por unanimidade a legislação para anexar as regiões de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporíjia, que representam cerca de 18% do território ucraniano reconhecido internacionalmente, após uma votação semelhante na Duma, na segunda-feira.

Zelensky assina decreto a excluir negociações com Putin

Sara Gouveia | há 1 mês

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky assinou, esta terça-feira, um decreto onde declara formalmente como "impossível" qualquer conversa com o líder do Kremlin, Vladimir Putin. O documento formaliza assim as declarações já feitas por Zelensky, na passada sexta-feira, depois de o presidente russo ter proclamado quatro regiões ocupadas da Ucrânia como parte da Rússia.

"Não sabe o que é dignidade e honestidade. Portanto, estamos prontos para um diálogo com a Rússia , mas com outro presidente", disse Zelensky na sexta-feira.

A primeira cláusula do decreto, que foi preparado pelo Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia, a 30 de setembro, diz: "[A Ucrânia decidiu] declarar a impossibilidade de conduzir negociações com o Presidente da Federação Russa Vladimir Putin".
 

Reformado ucraniano junta-se à luta... a recolher doações para o exército

Sara Gouveia | há 1 mês

Hryhoriy Yanchenko, de 75 anos, perdeu as pernas e os dedos há mais de 50 anos devido à gangrena, uma doença que leva à morte dos tecidos do organismo, mas nem isso o impediu de se juntar à resistência ucraniana.

Tal como conta a Reuters, o homem, aposentando, vestiu a camisola e a boina que usou na unidade de paraquedistas soviética, na qual serviu, e, na sua cadeira elétrica, recolheu doações para as tropas ucranianas por toda a cidade ocupada de Kherson.

Com uma coluna a tocar o hino ucraniano, o homem conseguiu recolher mais de 600 mil hryvnias, mais de 16 mil euros, em seis meses. O dinheiro, algum doado por soldados russos, foi usado por um grupo ucraniano para a compra de material militar para a linha da frente. 

Reformado ucraniano junta-se à luta... a recolher doações para o exército

Com uma coluna a tocar o hino ucraniano, o homem conseguiu recolher mais de 16 mil euros. Algum do dinheiro foi doado por soldados russos.

Notícias ao Minuto | 09:34 - 04/10/2022

Adesão da Ucrânia à NATO é impossível no curto prazo, diz analista

Sara Gouveia | há 1 mês

Nenhum país da NATO espera que seja possível uma adesão rápida da Ucrânia à organização militar ocidental, mas é possível o início de "conversações profissionais", indicou em entrevista à Lusa o investigador e académico Arkady Moshes.

"Ninguém fora da Ucrânia espera que seja possível que a Ucrânia adira à NATO num processo rápido e facilitado. Nove países da NATO manifestaram o seu apoio, mas restam 21 Estados-membros. Ninguém recusou, mas de facto não apoiam. Ninguém pensa que a Ucrânia possa aderir à NATO de uma forma simples", assinalou no decurso de um contacto telefónico com a Lusa.

Arkady Moshes comentava as declarações do Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, que na passada sexta-feira, logo após a cerimónia no Kremlin que formalizou a anexação de quatro províncias do leste da Ucrânia à Rússia, assinalou que tinha efetuado um passo decisivo ao assinar a candidatura da Ucrânia à adesão acelerada à NATO.

Adesão da Ucrânia à NATO é impossível no curto prazo, diz analista

Nenhum país da NATO espera que seja possível uma adesão rápida da Ucrânia à organização militar ocidental, mas é possível o início de "conversações profissionais", indicou em entrevista à Lusa o investigador e académico Arkady Moshes.

Lusa | 08:36 - 04/10/2022

Rússia sofreu duro golpe político apesar das anexações, diz investigador

Sara Gouveia | há 1 mês

Os recentes e importantes sucessos militares táticos da Ucrânia no nordeste do país significaram um duro golpe político para a Rússia por ocorrerem um dia após a formalização da anexação de quatro regiões, indicou à Lusa o investigador Arkady Moshes.

Especialista na Rússia, o académico apontou no decurso de um contacto telefónico com a Lusa três aspetos que regem as atuais preocupações de Moscovo: fornecer uma "visibilidade de sucesso" que deve ser discutida a nível interno, criar uma espécie de "nova realidade legal" no terreno que não fracasse, e "incorporar no Exército russo" os habitantes das recentes áreas anexadas.

"A Ucrânia obteve importantes sucessos táticos, é difícil indicar se o avanço vai prosseguir, se vão centrar-se no sul ou ainda no norte, mas é inegável que do ponto de vista tático a Ucrânia obteve um importante sucesso", prosseguiu o diretor do programa de investigação para a vizinhança leste da União Europeia e Rússia do Instituto Finlandês de Assuntos Internacionais (FIIA), sediado em Helsínquia.

Leia o artigo na íntegra aqui.

Tribunal russo multa Twitch em 70 mil euros por recusar apagar conteúdo

Sara Gouveia | há 1 mês

Um tribunal russo multou o serviço de streaming Twitch em 4 milhões de rublos (cerca de 70 mil euros) por recusar apagar uma entrevista com uma figura política ucraniana, noticia a agência noticiosa russa, Interfax.

Segundo as autoridades russas, a entrevista violava as leis russas por disseminar informação falsa.

O Twitch, que é detido pela Amazon, não respondeu, para já, ao pedido de comentário feito pela Reuters.

Rússia multa Twitch em quase 70 mil euros

A plataforma detida pela Amazon foi acusada de disseminar desinformação.

Miguel Dias | 10:15 - 04/10/2022

Senado russo ratifica anexação das quatro regiões ocupadas

Sara Gouveia | há 1 mês

O senado da Federação russa votou para aprovar a incorporação de quatro regiões ucranianas ocupadas no país, enquanto Moscovo se prepara para anexar formalmente o território que tomou de Kyiv desde o início da invasão, em fevereiro deste ano.

Numa sessão, esta terça-feira, foi ratificada por unanimidade a legislação para anexar as regiões de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporíjia, após uma votação semelhante na Duma, a câmara baixa da Rússia, ontem.

A Reuters relata que os documentos agora retornam ao Kremlin para a assinatura final do presidente Vladimir Putin para concluir o processo de anexação formal das quatro regiões, que representam cerca de 18% do território da Ucrânia, num movimento que provavelmente não será reconhecido legalmente fora da própria Rússia.

Atualmente, a Rússia não controla totalmente o território que afirma anexar.

Ucrânia faz o maior avanço no sul desde o início da guerra

Sara Gouveia | há 1 mês

A Ucrânia terá feito o seu maior avanço no sul do país desde que a guerra começou depois de terem derrotado as defesas russas. As tropas conseguiram recapturar várias aldeias ao longo do rio Dnipro, referiu um líder russo na área, citado pela Sky News. A cidade de Dudchany, que fica a cerca de 30 quilómetros ao sul de onde ficava a linha de defesa russa anteriormente, também foi recapturada - no avanço mais rápido da guerra no sul até agora. 

Um total de 31 tanques russos foram destruídos enquanto as forças ucranianas se moviam no sul, juntamente com um lançador de foguetes múltiplo. 

A cidade oriental de Lyman, em Donetsk, foi "totalmente limpa" das forças russas, anunciou o presidente ucraniano. As forças ucranianas recapturaram a cidade no sábado, quando o Kremlin anunciou que as tropas russas foram retiradas porque estavam sendo cercadas. 

Kyiv rompeu novas defesas russas na região de Kherson

Sara Gouveia | há 1 mês

As forças ucranianas romperam as defesas de Moscovo na região de Kherson, na segunda-feira, admitiram militares russos, uma conquista que desfere um duro golpe numa das quatro regiões anexadas pela Rússia em pleno conflito. O porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov, reconheceu que "com unidades de tanques superiores na direção de Zolotaya Balka, Aleksandrovka, o inimigo conseguiu penetrar a defesa", acrescentando que as tropas russas continuam a tentar resistir à contraofensiva de Kyiv na região de Kherson.

Kherson é uma das quatro regiões anexadas por Moscovo na semana passada, após um referendo apressado orquestrado pelo Kremlin a que a maioria da comunidade internacional não reconhece validade.

A apropriação de zonas da Ucrânia pelo Presidente russo, Vladimir Putin, ameaça levar o conflito para um nível mais perigoso, de que é sintoma o pedido da Ucrânia para aderir à NATO, logo a seguir ao anúncio das anexações.

AIE. UE enfrenta "riscos inéditos" no fornecimento de gás este inverno

Sara Gouveia | há 1 mês

A Europa vai enfrentar "riscos inéditos" nos seus fornecimentos de gás este inverno, depois de a Federação Russa ter cortado as suas exportações por gasoduto, disse hoje a Agência Internacional de Energia (AIE). A estes riscos junta-se uma potencial concorrência com a Ásia pelo gás transportado por navio, já escasso e caro.

A agência, baseada em Paris, adiantou no seu relatório trimestral que os membros da União Europeia poderiam ter de reduzir o seu consumo em até 13%, no caso de uma suspensão total do fornecimento proveniente da Federação Russa.

Muita desta redução do consumo teria de assentar no comportamento individual dos consumidores, como reduzir o aquecimento, bem como na conservação de energia por indústrias e serviços públicos.

Para recordar

Sara Gouveia | há 1 mês

Início da cobertura

Sara Gouveia | há 1 mês

Bom dia. Iniciamos mais uma cobertura AO MINUTO de todos os acontecimentos mais relevantes da guerra na Ucrânia, que já dura há mais de sete meses. 

Recorde abaixo os últimos acontecimentos de segunda-feira, 3 de outubro:

AO MINUTO: Anexações? "Direito na Carta da ONU"; Reservistas em Lugansk

Acompanhe aqui AO MINUTO os mais recentes desenvolvimentos sobre a guerra na Ucrânia.

Notícias ao Minuto | 07:39 - 03/10/2022

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório