Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2022
Tempo
14º
MIN 8º MÁX 16º

Ucrânia avançou para Lyman - e por que razão é isso tão importante?

Perceba a importância estratégica desta cidade, que fica em Donetsk.

Ucrânia avançou para Lyman - e por que razão é isso tão importante?
Notícias ao Minuto

16:39 - 01/10/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Ucrânia/Rússia

No rescaldo de mais uma conquista das tropas ucranianas, é importante perceber por que razão é que a tomada de Lyman, na região de Donetsk, é um ponto-chave nesta guerra, que já dura há mais de seis meses.

A localização é a chave?

Lyman fica a cerca de 100 quilómetros da cidade de Kharkiv, que é a segunda maior cidade da Ucrânia. Maior só Kyiv, que também foi tomada pelos russos - e, entretanto, reconquistada pelos ucranianos.

Quando os russos tomaram controlo da cidade, a mesma passou a ser uma localização ideal para o transporte de materiais russos, assim como para a comunicação.

Mais perto ainda de Lyman fica Severodonetsk, onde se localiza uma das pontes que já foi palco de batalha entre os russos e ucranianos - pelo seu local estratégico. É que não só Lyman é um ponto estratégico, mas também o é essa cidade, onde está uma ponte - destruída já por várias vezes pelos ucranianos - que serve, tal como em Lyman, de ligação para o transporte de mantimentos e materiais vindos da Rússia.

No rescaldo da anexação

Lyman é uma das cidades que estava sob controlo russo na região separatista da Ucrânia. Ao mesmo tempo em que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, dava "as boas-vindas" a todos os residentes de Donetsk, Lugansk, Zaporíjia e Kherson - após a anexação ilegal -, as tropas ucranianas anunciavam um certo a Lyman.

Já ontem, no discurso habitual diário, Volodymyr Zelensky referia que "todos assistimos ao que está a acontecer na cidade", referindo-se ao cerco, e à vinda de boas notícias - que chegaram este sábado, com o anúncio do ministério da Defesa da Rússia, citado pelas agências internacionais, a dizer que as tropas tinham abandonado a cidade - que foi anexada ilegalmente.

E a resposta internacional?

Após a retirada das tropas russas, já existiram respostas internacionais e conselhos destinados a Putin. O líder da Chechénia, Ramzan Kadyrov, sugeriu que a Rússia devia considerar o uso de armas nucleares de baixo rendimento.

"Na minha opinião, medidas mais drásticas deviam ser tomadas, tanto com a declaração da lei marcial nas fronteiras [da Rússia] e também com o uso de armas nucleares de baixo rendimento", escreveu o responsável no Telegram.

Já o ministério da Defesa da Rússia garantiu também, em comunicado, que apesar da retirada, tinham provocado baixas no exército ucraniano. "Apesar das perdas sofridas, o inimigo, que tinha uma vantagem superior em forças e meios, introduziu reservas e continuou nesta direção", explicaram, em comunicado.

Leia Também: Nova vitória para os ucranianos: Rússia anuncia retirada de Lyman

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório