Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2022
Tempo
12º
MIN 11º MÁX 16º

Diretor da central nuclear de Zaporíjia detido por forças russas

Ihor Murashov foi "levado de carro, com os olhos vendados, e conduzido numa direção desconhecida", disse a agência estatal ucraniana.

Diretor da central nuclear de Zaporíjia detido por forças russas
Notícias ao Minuto

09:13 - 01/10/22 por Notícias ao Minuto com Lusa

Mundo Guerra na Ucrânia

O diretor-geral da central nuclear de Zaporíjia (Zaporizhzhia), Ihor Murashov, foi detido por uma patrulha russa, segundo a Energoatom, a agência estatal ucraniana, responsável pela central.

A Energoatom referiu que Murashov foi detido a caminho da cidade de Enerhodar, proveniente da central, por volta das 16h (horário local) de sexta-feira.

"Ele foi levado de carro, com os olhos vendados, e conduzido numa direção desconhecida", disse a agência estatal ucraniana.

Numa declaração publicada no site da Energoatom, Petro Kotin, presidente da agência, indica que "Ihor Murashov é uma pessoa licenciada e tem a responsabilidade principal e exclusiva pela segurança nuclear e radioativa da central nuclear de Zaporizhzhya. A sua detenção pelos russos coloca em risco a segurança da operação da Ucrânia da maior central nuclear da Europa".

"Apelo ao Diretor Geral da AIEA [Agência Internacional de Energia Atómica] Rafael Grossi e ao Presidente da WANO [Associação Mundial de Operadores Nucleares], Tom Mitchell, para que tomem todas as medidas imediatas possíveis para libertar urgentemente o Diretor Geral da ZNPP do cativeiro russo e trazê-lo de volta para desempenhar suas funções", frisa o presidente.

Refira-se que Zaporíjia é uma das quatro regiões que foram anexadas pela Rússia após referendo, referendos esses que são rejeitados pela generalidade da comunidade internacional.

A Rússia não se pronunciou ainda sobre a acusação, tal como a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), que tem técnicos na central, segundo a AP.

Risco de desastre nuclear

A Ucrânia tem quatro centrais nucleares em funcionamento, com um total de 15 reatores, seis dos quais na de Zaporíjia, que está ocupada por tropas russas.

A situação na central de Zaporijia tem causado preocupação generalizada desde o início da guerra, com ucranianos e russos a acusarem-se mutuamente de ataques contra o complexo, que podem causar um desastre nuclear.

Em 1986, quando integrava a antiga União Soviética, a Ucrânia sofreu o acidente nuclear mais grave de sempre no mundo, ocorrido na central de Chernobil.

O conflito atual na Ucrânia foi desencadeado pela invasão russa do país vizinho, em 24 de fevereiro deste ano.

Leia Também: AO MINUTO: Diretor de central detido por russos; EUA negam sabotagem

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório