Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2022
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 17º

União Europeia condena e rejeita "anexação ilegal" das regiões ucranianas

Os 27 afirmam ainda que a Ucrânia tem o direito de libertar os territórios ocupados dentro das suas fronteiras.

União Europeia condena e rejeita "anexação ilegal" das regiões ucranianas

Os líderes da União Europeia "rejeitam" e "condenam" a "anexação ilegal" das regiões de Donetsk, Lugansk, Zaporíjia e Kherson pela Rússia, anunciaram os 27 num comunicado esta sexta-feira, acusando Moscovo de colocar "em risco a segurança mundial".

Os tratados foram assinados ao início da tarde por Vladimir Putin, apesar da condenação internacional e da Ucrânia.

"Nós não reconhecemos e nunca reconheceremos os 'referendos' ilegais que a Rússia organizou como pretexto para esta nova violação da independência, soberania e integridade territorial da Ucrânia", lê-se no documento, partilhado há momentos nas redes sociais pelo presidente do Conselho Europeu e pela presidente da Comissão Europeia.

Em comunicado, a União Europeia acusa mesmo a Rússia de violar "deliberadamente a ordem internacional", bem como "os direitos fundamentais da Ucrânia à independência, soberania e integridade territorial" e o "direito internacional".

"Crimeia, Kherson, Zaporizhzhia, Donetsk e Luhansk são Ucrânia", lê-se também. "Apelamos a todos os Estados e organizações internacionais para que rejeitem inequivocamente esta anexação ilegal."

Os líderes dos países da União Europeia afirmam ainda que a Ucrânia tem o direito de libertar os territórios ocupados dentro das suas fronteiras.

"A União Europeia está resolutamente ao lado da Ucrânia e do seu povo. Somos inabaláveis ​​no nosso apoio à integridade e soberania territorial da Ucrânia. A Ucrânia está a exercer o seu direito legítimo de se defender contra a agressão russa para recuperar o controlo total do seu território e tem o direito de libertar territórios ocupados dentro das suas fronteiras internacionalmente reconhecidas", sublinha o comunicado. 

Por fim, os Estados-membros garantem que vão reforçar as medidas e a pressão sobre a Rússia para pôr fim à guerra.

"Reiteramos que a União Europeia está firmemente ao lado da Ucrânia e continuará a prestar um forte apoio económico, militar, social e financeiro à Ucrânia enquanto for necessário", determinam.

"Esta anexação ilegal proclamada por Putin não vai mudar nada", garantiu Ursula von der Leyen, momentos depois do discurso do presidente russo no Kremlin. "Todos os territórios ocupados ilegalmente pela Rússia são território ucraniano e serão sempre parte dessa nação soberana."

O presidente russo, Vladimir Putin, assinou hoje, em Moscovo, os tratados de anexação das regiões ucranianas de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporijia, apesar da condenação internacional e da Ucrânia.

As quatro regiões representam cerca de 15 por cento do território da Ucrânia.

Leia Também: Putin sublinha opção "inequívoca" da população após referendos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório