Meteorologia

  • 28 NOVEMBRO 2022
Tempo
12º
MIN 9º MÁX 17º

Inimigo n.º1 de Putin: "Objetivo é a guerra. Não é NATO ou Império Russo"

Bill Browder deu uma entrevista à CNN Portugal onde recordou o advogado Sergei Magnitsky, que o ajudou a desvendar a corrupção na Rússia: "Prenderam-no, colocaram-no na prisão a aguardar julgamento e torturaram-no por 358 dias". 

Inimigo n.º1 de Putin: "Objetivo é a guerra. Não é NATO ou Império Russo"
Notícias ao Minuto

10:23 - 30/09/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Bill Browder

Bill Browder é um investidor norte-americano, fundador da Hermitage Capital Management - um fundo de investimento que entrou no mercado da Rússia em 2000 - e o 'inimigo número um' de Vladimir Putin. Isto porque se apercebeu da corrupção que lavra no país e tentou trazê-los à luz.

Em Portugal, e entrevistado pela CNN Portugal, Browder recordou o advogado que o ajudou nesta 'missão', Sergei Magnitsky. Ambos terminaram acusados na Rússia por fraude fiscal, com Magnitsky a chegar mesmo a ser detido.

"Ele descobriu todos os crimes, testemunhou contra os agentes envolvidos, pensando que estava a fazer algo patriótico pelo seu país", contou Browder. "Em vez de lhe darem uma palmada nas costas e agradecer-lhe pelo serviço, prenderam-no, colocaram-no na prisão a aguardar julgamento e torturaram-no por 358 dias". 

Browder só não foi também detido porque, nessa altura, se encontrava fora do país. Na mesma entrevista, o norte-americano acusa ainda os russos de terem matado Sergei Magnitsky: "As autoridades russas mataram-no quando estava sob custódia no dia 16 de novembro de 2009"

E foi ao 'levar' Obama a aprovar o ato Magnitsky - que impunha sanções a oligarcas - que levou Bill Browder à condição de 'inimigo número um' de Putin. O presidente russo chegou mesmo a pedir aos Estados Unidos para que o investidor fosse entregue, algo com que Trump, já como presidente, concordou: "Ele estava a perseguir-me por todo o mundo desde 2012. Mas fiquei chocado por Trump ter concordado em entregar-me"

A decisão foi rejeitada pelo Congresso dos Estados Unidos. 

E a guerra na Ucrânia?

A guerra na Ucrânia foi outro dos temas da entrevista de Bill Browder à CNN Portugal. Para o norte-americano, o objetivo é só um: "estar em guerra". "Não é a NATO ou o Império Russo. É estar em guerra, ser um homem forte, ser um ditador e ter pessoas zangadas com um inimigo estrangeiro em vez de zangadas com o seu próprio líder". 

A ofensiva militar lançada a 24 de fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas - mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,4 milhões para os países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa - justificada pelo presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de "desnazificar" e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia - foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

Leia Também: AO MINUTO: Ataque em Zaporíjia mata 23; Putin formaliza hoje anexação

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório