Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2022
Tempo
MIN 7º MÁX 14º

População encontra cinco corpos em aldeia de Mueda em Moçambique

A população de uma aldeia moçambicana no distrito de Mueda, Cabo Delgado, encontrou nas matas, na quarta-feira, os corpos de cinco pessoas com sinais de terem sido assassinadas com violência, anunciaram residentes.

População encontra cinco corpos em aldeia de Mueda em Moçambique

Os corpos estavam deteriorados e não foram identificados, disse um membro da milícia local, admitindo que possam ter sido "terroristas que saíram feridos quando invadiram a aldeia Homba" na última semana e que acabaram por sucumbir.

"Vê-se que são caras novas", acrescentou.

A descoberta foi feita enquanto a população fazia atividades de rotina na mata.

"Estávamos à procura de lenha bem perto da aldeia e sentimos um cheiro forte: eram pessoas mortas com marcas de violência", disse uma mulher de Homba que, entretanto, está com a família em fuga para a sede de distrito.

Outra fonte disse que a descoberta foi feita depois de ataques feitos por desconhecidos nas últimas semanas, motivando a debandada de várias comunidades (Nanhala, Homba, Xaxaxa, Mandela, Mapate e Nangumbe).

"Estamos a sair. O cenário é de medo e vamos para a sede distrital de Mueda", acrescentou.

O comandante-geral da polícia moçambicana anunciou na quarta-feira a morte de 16 supostos terroristas desde o início da semana.

"Hoje foram enterrados 16 terroristas que morreram por ferimentos causados pelas armas das Forças de Defesa e Segurança, além de cobras, leões e até de crocodilos", disse Bernardino Rafael.

A província de Cabo Delgado é rica em gás natural, mas aterrorizada desde 2017 por violência armada, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

A insurgência levou a uma resposta militar desde há um ano com apoio do Ruanda e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), libertando distritos junto aos projetos de gás, mas surgiram novas vagas de violência a sul da região e na vizinha província de Nampula.

Há cerca de 800 mil deslocados internos devido ao conflito, de acordo com a Organização Internacional das Migrações (OIM), e cerca de 4.000 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED.

Leia Também: "Greve ilegal". Empresa suspende exploração de grafite em Moçambique

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório