Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2022
Tempo
12º
MIN 10º MÁX 17º

Número de migrantes mortos na costa da Síria sobe para 94

Embarcação com refugiados saiu do norte do Líbano com pelo menos 120 pessoas a bordo, antes de afundar no Mediterrâneo.

Número de migrantes mortos na costa da Síria sobe para 94
Notícias ao Minuto

10:14 - 25/09/22 por Notícias ao Minuto , com Lusa

Mundo Migrantes

O número de migrantes mortos numa embarcação perto da costa da Síria aumentou para 94, segundo os dados mais recentes do ministério dos Transportes do Líbano, país a partir do qual os migrantes partiram.

Segundo o ministro libanês, Ali Hamieh, citado pelo The Guardian, seguiriam a bordo da embarcação entre 120 e 150 pessoas. O barco partiu da região de Minyeh, antes de naufragar a cerca de 48 quilómetros mais a norte, ao largo da cidade portuária síria de Tartus, na quinta-feira.

A agência estatal síria deu conta de pelo menos 14 pessoas resgatadas, entregues aos cuidados de saúde do país, sendo que seis já receberam alta e duas permanecem em cuidados intensivos.

Ainda há muitas pessoas por contabilizar, estimando-se que estas estejam desaparecidas no Mediterrâneo.

Segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, a maioria dos cidadãos a bordo eram de nacionalidade libanesa, síria e palestiniana. Entre os mortos estarão dez crianças.

O comissário Filippo Grandi descreveu o naufrágio como uma "tragédia desoladora".

Os dados da ONU diferem de uma organização não-governamental sueca, a Aegean Boat Report, que cobre os naufrágios e viagens de refugiados pelo Mar Egeu (o corpo de água situado entre a Grécia e a Turquia). A ONG dá conta de 45 crianças mortas no desastre.

"Isto devia ser manchete em todo o mundo. Quantas crianças precisam de se afogar a caminho da Europa antes de agirmos? Se estas 45 crianças fossem europeias e se afogassem no Canal da Mancha, teria sido destacado por todo o mundo, mas estas crianças parecem ser menos valiosas", comentou a associação.

Entretanto, o exército libanês anunciou que foi detido um cidadão que "admitiu organizar a recente operação de tráfico [humano] do Líbano para Itália através do mar".

Milhares de libaneses, sírios e palestinianos deixaram o Líbano, de barco, nos últimos meses, em busca de melhores oportunidades na Europa - o país é, aliás, uma das principais rotas de migração a partir do Médio Oriente, desde o início da guerra na Síria em 2011.

O Líbano tem uma população de seis milhões de habitantes, incluindo um milhão de refugiados sírios, e enfrenta um grave colapso económico desde finais de 2019, que lançou mais de três quartos da população para a pobreza.

No sábado, as famílias daqueles que já receberam os corpos dos familiares perdidos no mar organizaram o segundo dia de funerais. Em Tripoli, na capital do país, mais familiares juntaram-se num campo de refugiados para palestinianos, para protestar contra o tratamento de refugiados e a discriminação das autoridades europeias contra migrantes que tentam atravessar o Mediterrâneo, em busca de uma vida melhor.

Leia Também: Migrações: Sobe para 53 o número de mortos em naufrágio na costa da Síria

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório