Meteorologia

  • 30 SETEMBRO 2022
Tempo
23º
MIN 14º MÁX 23º

Presidente turco acusa EUA de "alimentarem terrorismo" na Síria e Iraque

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, acusou os Estados Unidos (EUA) de apoiarem o terrorismo na Síria e no Iraque e reiterou que o exército de Ancara está "pronto" para lançar uma nova ofensiva em território sírio.

Presidente turco acusa EUA de "alimentarem terrorismo" na Síria e Iraque

"São os EUA e as forças da coligação [liderada por Washington] que principalmente alimentam o terrorismo na Síria. Eles fizeram-no brutalmente e ainda o fazem. Eles não se cansaram disso e também o alimentaram da mesma maneira no Iraque", disse o presidente turco.

Erdogan falava na última noite a bordo do avião presidencial, após a sua viagem à cidade ucraniana de Lviv, onde se reuniu com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, e o secretário-geral da ONU, António Guterres, encontro focado no conflito na Ucrânia, sob invasão da Rússia.

Erdogan, que desde maio ameaça com uma invasão no norte da Síria contra grupos curdos que Ancara considera terroristas, reafirmou que o exército turco está "pronto" para lançar uma nova ofensiva a qualquer momento.

As forças turcas estão presentes em áreas do território sírio do norte, na fronteira com a Turquia, onde lançaram entre 2016 e 2019 três grandes operações, visando milícias e organizações curdas.

Ancara diz que quer criar uma "zona de segurança" de 30 quilómetros na sua fronteira sul.

Na terça-feira, o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH) informou que dezassete pessoas foram mortas em ataques aéreos turcos numa posição ocupada pelo regime sírio perto da fronteira turca.

No regresso da Ucrânia, Erdogan também pediu o "reforço" da coordenação com Moscovo no norte da Síria, para combater o "terrorismo".

Disse ainda que está em contacto com a Rússia para cada passo que dá na Síria.

"O diálogo político ou a diplomacia entre os Estados nunca podem ser interrompidos", acrescentou.

Segundo a agência de notícias Anatolia o presidente turco, na sequência da normalização das relações diplomáticas entre Turquia e Israel, manteve hoje uma conversa telefónica com o presidente israelita, Isaac Herzog, na qual transmitiu que a nomeação recíproca de embaixadores é um "passo importante para o desenvolvimento positivo" das relações bilaterais.

As relações entre Israel e Turquia foram interrompidas em 2010, após a Marinha israelita ter matado vários ativistas turcos pró-palestianos, num bloqueio naval da Faixa de Gaza.

Embora ambos os países tenham chegado a um acordo em 2016 para retomar relações, os laços não foram totalmente restabelecidos e os respetivos embaixadores foram expulsos em 2018 devido à repressão das forças de segurança israelitas contra milhares de manifestantes palestinianos na Faixa de Gaza.

Leia Também: Presidente da Turquia alerta para risco de nova catástrofe nuclear

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório