Meteorologia

  • 30 SETEMBRO 2022
Tempo
23º
MIN 14º MÁX 23º

Afeganistão. Clérigo que defendia direitos das mulheres morre em atentado

Um atentado matou hoje um proeminente clérigo talibã, conhecido por defender os direitos das mulheres ao trabalho e à educação, no seu centro religioso na capital afegã, Cabul, segundo as autoridades locais.

Afeganistão. Clérigo que defendia direitos das mulheres morre em atentado

As autoridades identificaram o clérigo como Rahimullah Haqqani, e, um porta-voz dos talibãs, Bilal Karimi confirmou a morte, referindo-se ao clérigo como "grande personalidade e figura académica".

Karimi disse que Haqqani tinha sido morto por "um ataque brutal do inimigo", sem especificar, mas um funcionário talibã, que pediu anonimato, disse à agência Efe que um indivíduo "transportava explosivos na perna ortopédica" e explodiu perto de Haqqani".

Não houve nenhuma reivindicação imediata da responsabilidade pelo assassinato, no entanto, a filial local do grupo Estado Islâmico tem atacado os talibãs e os civis em ataques desde a tomada de posse do governo talibã no Afeganistão, em agosto passado, quando as tropas dos EUA e da NATO estavam na fase final da sua retirada do país.

Após o atentado, os combatentes talibãs impediram os repórteres em Cabul de chegar ao centro religioso de Haqqani.

As mensagens de condenação dos líderes talibãs não demoraram a chegar, incluindo o porta-voz adjunto do govern, Bilal Karimi, que disse ter recebido "com grande tristeza" a notícia do "martírio" do académico e religioso Haqqani.

Este líder religioso era conhecido pela sua fervorosa oposição ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI), que alegadamente tinha tentado pôr fim à sua vida em vários ataques no Paquistão.

Haqqani também tinha demonstrado apoio público aos direitos das mulheres, especialmente no que diz respeito à educação e ao trabalho, uma posição que difere da tomada oficialmente pelos talibãs, que desde que retomaram o poder, há um ano, não permitiram que os estudantes do ensino secundário voltassem à sala de aula.

Uma operação liderada pelos Estados Unidos da América derrubou o governo talibã no Afeganistão após os ataques de 11 de setembro de 2001, mas estes voltaram ao poder 20 anos depois, em agosto passado, com a retirada das forças aliadas.

Leia Também: Afeganistão. Violação de direitos humanos marca poder dos talibãs

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório