Meteorologia

  • 10 AGOSTO 2022
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 26º

Eis como o Japão praticamente extinguiu as mortes por arma de fogo

O Japão tem uma das menores taxas do mundo de crimes cometidos com armas de fogo.

Eis como o Japão praticamente extinguiu as mortes por arma de fogo

Enquanto o mundo discute a cultura de armas de fogo nos Estados Unidos, à luz de uma recente vaga de tiroteios em massa, vale a pena olhar para o extremo oposto: o Japão, país com uma das menores taxas do mundo de crimes cometidos com armas de fogo.

Sete pessoas morreram e dezenas ficaram feridas num tiroteio em massa na segunda-feira, num desfile de 4 de Julho em Highland Park, Illinois. O ataque acontece já na sequência de vários outros tiroteios em massa nas últimas semanas, incluindo em Buffalo, Nova Iorque, e em Uvalde, Texas.

Nos EUA - e no mundo - intensificou-se a discussão sobre o que se pode fazer para evitar que a tendência prossiga.

Mas o que fez o Japão?

O Japão, um país de 127 milhões de pessoas, raramente totaliza mais de 10 mortes por arma anualmente. Primeiro, para comprar uma arma no Japão é preciso paciência e tempo. É necessário um dia inteiro de aulas, passar num exame escrito e noutro de tiro ao alvo com um resultado mínimo de 95% de pontaria. Segundo a BBC, também é preciso fazer exames psicológicos e antidoping.

Os antecedentes criminais são verificados, bem como possíveis ligações a grupos extremistas. Depois, os familiares e até os colegas de trabalho são investigados. 

Passados estes testes todos, chegada a hora de comprar a arma, saiba que só se pode comprar espingarda de caça ou de ar - pistolas estão proibidas. 

A lei também controla o número de lojas que vendem armas e três anos depois de obter a arma deve passar pelos testes todos novamente. 

A polícia tem que ser informada sobre onde a arma e a munição ficam guardadas - e ambas devem estar em locais distintos, trancadas. Uma vez por ano, a polícia inspecionará a arma.

O sucesso do Japão na contenção das mortes por armas está intimamente ligado à sua história. Após a Segunda Guerra Mundial, o pacifismo emergiu como uma das filosofias dominantes no país. A polícia só começou a transportar armas de fogo depois de as tropas americanas as terem fabricado, em 1946, por uma questão de segurança, nota o Insider.

Está também escrito na lei japonesa, desde 1958, que "nenhuma pessoa deve possuir uma arma ou armas de fogo ou uma espada ou espadas". O governo flexibilizou a lei, mas o facto de o Japão ter decretado o controlo das armas a partir da posição de proibição é importante. 

Em 2018, os japoneses tiveram o 9º melhor Índice Global da Paz, num ranking liderado pela Islândia.

Leia Também: Highland Park. Na noite anterior, Crimo e o pai falaram sobre tiroteio

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório