Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2022
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 24º

Ex-assessora da Casa Branca "esburacou a defesa de Donald Trump"

O cientista político Everett Vieira III, professor na Universidade Estadual da Califórnia em Fresno, disse à Lusa que o testemunho da ex-assessora da Casa Branca Cassidy Hutchinson "esburacou a defesa de Donald Trump". 

Ex-assessora da Casa Branca "esburacou a defesa de Donald Trump"
Notícias ao Minuto

00:20 - 30/06/22 por Lusa

Mundo Everett Vieira III

"Isto é bastante condenatório", considerou Vieira. 

"Ela relatou uma cronologia minuto a minuto de como ele tinha consciência das ameaças, especificamente da ameaça à vida do vice-presidente Mike Pence", afirmou. "Ela disse que, perante os cânticos 'Enforquem Mike Pence', Trump respondeu 'ele merece-o'". 

Cassidy Hutchinson, que testemunhou sob juramento na sexta audiência da comissão parlamentar que investiga o assalto ao Capitólio, também relatou como Donald Trump foi avisado de que os manifestantes estavam fortemente armados. 

"É uma perfuração da sua defesa de negação plausível. Ele poderia dizer que não sabia que eles estavam armados, a marchar pelos túneis, a ameaçar a vida do vice-presidente", salientou o especialista. "Ao que parece ele sabia, e essa é a parte mais prejudicial para a defesa do presidente". 

Classificando de "muito sérias" as acusações feitas por Cassidy Hutchinson, o cientista político considerou que poderemos estar perante a "arma fumegante" e o indício de culpa direta de Donald Trump de que muitos estavam à espera.

"Isto reforçou o argumento para que o Departamento de Justiça investigue", considerou Everett Vieira. "Há todos os motivos para acreditar que tal investigação é justificada". 

O procurador-geral Merrick Garland disse, após o início das audiências públicas, que iria assistir a todas e que os procuradores envolvidos nos processos criminais relativos ao 6 de janeiro também o fariam. 

"Pode haver a acusação de ser uma caça às bruxas, mas o que vimos nas últimas audiências é que o Departamento de Justiça não trabalha para um presidente, trabalha para o povo americano e não deve ser envolvido em política", frisou Everett Vieira.

Por outro lado, o especialista disse que se houver impunidade isso vai encorajar os envolvidos a continuarem a cometer este tipo de atos.

Vieira salientou também que a decisão de testemunhar sob juramento poderá ter arruinado as ambições políticas de Cassidy Hutchinson, que tem apenas 25 anos e tinha estagiado com os conservadores Steve Scalise e Ted Cruz antes de ir para a Casa Branca. 

"Esta mulher está a sacrificar a sua carreira", disse Vieira. "É alguém que acreditava no presidente Trump e na sua plataforma e quando viu o que ele fez no dia 6 de janeiro ficou chocada e achou que era algo não americano, não patriótico". 

A sexta audiência foi convocada de surpresa para 28 de junho e, segundo Everett Vieira, tal poderá ter acontecido devido a tentativas de interferência e intimidação de testemunhas, algo que a vice-chair da comissão, a republicana Liz Cheney, denunciou no encerramento da sessão sem nomear os alvos da pressão. 

Donald Trump negou a veracidade do testemunho e disse que "mal conhecia" Cassidy Hutchinson, numa série de publicações feitas na sua rede Truth Social. 

Leia Também: Testemunho de Hutchinson sobre Capitólio é "obituário político de Trump"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório