Meteorologia

  • 08 AGOSTO 2022
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 27º

NATO: Cimeira de Madrid declara Rússia "maior e mais direta ameaça"

Os lideres da NATO declararam hoje a Rússia como a "maior e mais direta ameaça" à paz e segurança dos países Aliança Atlântica, no final da primeira sessão de trabalho da cimeira de Madrid.

NATO: Cimeira de Madrid declara Rússia "maior e mais direta ameaça"
Notícias ao Minuto

13:52 - 29/06/22 por Lusa

Mundo Madrid

"Continuamos a enfrentar ameaças distintas, de todas as direções estratégicas. A Federação Russa é a maior e mais direta ameaça à segurança, paz e estabilidade dos aliados [na NATO] na região euro-atlântica", lê-se na Declaração da Cimeira de Madrid, um texto subscrito pelos 30 chefes de Estado e de Governo da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês).

Entre as outras ameaças elencadas pelos líderes da NATO estão o terrorismo, "em todas as suas formas e manifestações", que "continua a ser uma ameaça direta à segurança das populações e à estabilidade e prosperidade internacional".

"Com determinação e solidariedade, os Aliados continuarão a combater as ameaças russas e a responder às suas ações hostis e a combater o terrorismo, de uma forma coerente com o direito internacional", refere a declaração da cimeira, que tem 22 pontos e em que os líderes da Aliança Atlântica sublinham que decorre num momento em que "a guerra voltou ao continente europeu", com a invasão russa da Ucrânia, em 24 de fevereiro, e por isso "crítico" para a segurança e estabilidade internacionais.

Os aliados da NATO sinalizam também as "ameaças cibernéticas, espaciais, híbridas e outras assimétricas", assim como as que resultam da "utilização maliciosa de tecnologias emergentes e disruptivas".

A China e outros países "que desafiam" os "interesses, segurança e valores" da Aliança e "procuram minar a ordem internacional baseada em regras" são outras das ameaças referidas no documento, que neste ponto as designa como "concorrência sistémica".

A imigração ilegal e o tráfico de seres humanos, que decorre "da instabilidade para além das fronteiras" da NATO, estão igualmente colocados na lista de ameaças, perigos e desafios referidos na Declaração da Cimeira de Madrid.

Foi com base nestas ameaças que os líderes da NATO aprovaram hoje um novo Conceito Estratégico, o documento que orienta a ação da Aliança a cada nova década, e confirmaram o aumento de meios e tropas instalados na Europa do leste e dos militares em prontidão (para reação rápida), que passarão dos atuais 40 mil para mais de 300 mil.

Na primeira sessão de trabalho da cimeira de Madrid foi também aprovado um novo pacote de ajuda integral à Ucrânia, como já havia sido anunciado, assim como mais ajudas para a Moldova, Bósnia e Geórgia.

"Condenamos a guerra de agressão da Rússia contra a Ucrânia nos termos mais fortes possíveis", escreveram os líderes da NATO da Declaração da Cimeira de Madrid.

Depois de se congratularem com a intervenção de hoje do Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, na primeira sessão da cimeira, os países da NATO manifestam "total solidariedade" com o povo e o Governo ucranianos e reiteram o compromisso de apoiar "de forma adequada" o país na defesa da sua independência, soberania e integridade territorial.

A cimeira da NATO decorre em Madrid até quinta-feira, juntando 44 delegações e 40 chefes de Estado e de Governo.

[Notícia atualizada às 16h25]

Leia Também: "A Finlândia e a Suécia tornarão a NATO mais forte", diz Stoltenberg

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório