Meteorologia

  • 05 OUTUBRO 2022
Tempo
19º
MIN 17º MÁX 30º

Maioria dos jovens da faixa de Gaza sob bloqueio tem problemas emocionais

Quatro em cada cinco jovens da faixa de Gaza sofrem de problemas emocionais, incluindo depressão, alerta hoje a Save the Children, num relatório onde aponta para uma deterioração da saúde mental no enclave palestiniano, após 15 anos de bloqueio.

Maioria dos jovens da faixa de Gaza sob bloqueio tem problemas emocionais
Notícias ao Minuto

09:13 - 15/06/22 por Lusa

Mundo ONG

No estudo, intitulado 'Aprisionado', a Organização Não Governamental (ONG) britânica relata que o bem-estar mental de crianças, jovens e cuidadores deteriorou-se significativamente desde um relatório semelhante, em 2018, com o número de jovens nestas situações a subir de 55% para 80%.

A Save the Children aponta sintomas de depressão, ansiedade, medo e pensamentos suicidas, no relatório que é baseado em entrevistas com 488 jovens entre os 12 e 17 anos e 160 pais, divulgado por ocasião dos 15 anos do bloqueio israelita.

Este bloqueio foi estabelecido em junho de 2007, em resposta à tomada do poder daquele enclave palestiniano por parte do movimento islâmico Hamas, inimigo do Estado judeu.

Desde então, Israel e Hamas travaram quatro guerras (2008-2009, 2012, 2014, 2021) no microterritório afetado pela pobreza e pelo desemprego.

A ONG lamenta a falta de perspetivas de mudança para os 2,3 milhões de habitantes, dos quais 47% são menores de idade.

Destes, 800.000 apenas conhecem a vida sob bloqueio, alerta a Save the Children.

"As crianças (...) descreveram viver num estado permanente de medo, preocupação, tristeza e sofrimento, esperando o próximo ciclo de violência", sublinha Jason Lee, responsável da ONG para os territórios palestinianos.

Os sinais desta "angústia" são "chocantes" e devem alertar a comunidade internacional, acrescenta.

Para a organização de direitos humanos Human Rights Watch (HRW), o bloqueio "devastou a economia de Gaza, contribuiu para a fragmentação do povo palestiniano e contribui para os crimes contra a humanidade do apartheid e a perseguição das autoridades israelitas contra milhões de palestinianos".

"Os jovens pagam o preço porque nunca conheceram Gaza antes do bloqueio. Os seus horizontes estão de fato limitados a uma faixa de terra de 40 quilómetros por 11 e isso limita as suas hipóteses de interagirem com o mundo e as suas oportunidades futuras", salienta à agência France-Press (AFP) Omar Shakir, diretor da HRW para Israel e os territórios palestinianos.

Gaza tornou-se uma "prisão a céu aberto", denuncia ainda Shakir, que também culpa o Egito por restringir o acesso dos habitantes de Gaza ao seu território.

Israel conquistou Jerusalém Oriental durante a Guerra israelo-árabe dos Seis Dias, em junho de 1967, juntamente com a Cisjordânia e a Faixa de Gaza.

Os palestinianos pretendem recuperar a Cisjordânia ocupada e Gaza e reivindicam Jerusalém Oriental como capital do futuro Estado da Palestina a que aspiram.

Leia Também: Israel reabre passagem para trabalhadores de Gaza após duas semanas

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório