Meteorologia

  • 09 FEVEREIRO 2023
Tempo
11º
MIN 8º MÁX 17º

Centro-direita do Brasil reforça aliança para candidatura de Simone Tebet

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) anunciou hoje o apoio à candidatura presidencial de Simone Tebet, juntando-se aos partidos de centro-direita que procuram combater a polarização entre Jair Bolsonaro e Lula da Silva.

Centro-direita do Brasil reforça aliança para candidatura de Simone Tebet

Simone Tebet, de 52 anos, senadora desde 2015 e única mulher candidata às eleições presidenciais, é considerada o novo rosto da 'terceira via' brasileira, saindo agora mais reforçada com a formalização desta aliança entre o PSDB e o seu partido, Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Tebet já tinha recebido o apoio do partido Cidadania.

"PSDB define apoio à Simone Tebet, em votação finalizada há pouco. O partido segue firme e convicto na construção de uma alternativa a Lula e Bolsonaro por um país mais próspero e unido", lê-se numa nota do PSDB divulgada no Twitter.

O apoio do PSDB confirma que o partido, criado em 1988 e que governou entre 1995 e 2003 sob Fernando Henrique Cardoso, não terá o candidato presidencial próprio pela primeira vez desde a sua fundação.

O antigo governador de São Paulo, João Doria, tinha sido apresentado para concorrer às presidenciais pelo partido, mas fracas percentagens nas intenções de voto fizeram-no desistir.

Nas negociações iniciais, o PSDB e o MDB esperavam contar com o apoio da União Brasil, partido do antigo juiz e ex-ministro da justiça Sergio Moro, que entretanto já apresentou Luciano Bívar, com apenas 1% nas sondagens.

Apesar de Simone Tabet registar apenas 2% nas sondagens, a expectativa da campanha é que, com o novo apoio anunciado, esse valor aumente substancialmente.

O diversificado leque de candidatos de "terceira via" é liderado por Ciro Gomes, um veterano político de centro-esquerda que já tentou sem sucesso a presidência nas eleições de 1998, 2002 e 2018, e que hoje tem cerca de 10% do apoio, faltando pouco menos de quatro meses para as eleições.

As eleições terão lugar em outubro e todas as sondagens atribuem a Lula cerca de 45% nas sondagens, em comparação com 30% para Bolsonaro.

Leia Também: Lula da Silva lidera sondagem recente com 16 pontos sobre Bolsonaro

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório