Meteorologia

  • 03 DEZEMBRO 2022
Tempo
MIN 8º MÁX 12º

ONU. Modelo moçambicano em Cabo Delgado é exemplo

Representantes das Nações Unidas consideraram hoje, após Moçambique ser eleito para o Conselho de Segurança, que o modelo moçambicano de construção da paz em Cabo Delgado "demonstra como as intervenções interafricanas podem ajudar a resolver os desafios no continente".

ONU. Modelo moçambicano em Cabo Delgado é exemplo

Num comunicado conjunto após a eleição, Mirko Manzoni, enviado pessoal do secretário-geral da ONU, e a coordenadora residente da ONU em Moçambique, Myrta Kaulard, felicitaram Maputo pela sua eleição para um mandato de dois anos, frisando que demonstra o reconhecimento e o apoio da comunidade internacional às "valiosas contribuições" do país para a paz e segurança internacionais, assim como o seu forte compromisso com a Carta das Nações Unidas.

"No momento em que Moçambique se prepara para assumir o seu lugar no órgão da ONU responsável pela manutenção da paz e segurança internacionais, o país dispõe de uma oportunidade para fazer chegar as suas próprias experiências à cena mundial", avaliaram os representantes da ONU em comunicado.

Como exemplo, Manzoni e Kaulard destacaram a implementação do Acordo de Paz e Reconciliação Nacional - entre o Governo de Filipe Nyusi e a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo, oposição), em agosto de 2019 -, observando que demonstra como os líderes do país estão empenhados em utilizar o diálogo como o único caminho sustentável para a paz.

"Em Cabo Delgado, o modelo moçambicano de construção da paz e da segurança, através de soluções regionais e locais dinâmicas, demonstra como as intervenções interafricanas podem ajudar a resolver os desafios no continente", salientaram, citados em comunicado.

A província moçambicana de Cabo Delgado (norte) é rica em gás natural, mas aterrorizada desde 2017 por rebeldes armados, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico. As forças de defesa e segurança de Moçambique, Ruanda e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) têm cooperado no combate aos grupos armados na província.

A ONU recordou que Moçambique se encontra entre os países mais vulneráveis às mudanças climáticas no âmbito mundial, estando "satisfeita" por o país estar a desenvolver capacidades "para prevenir, em vez de reagir", às emergências climáticas.

Manzoni e Kaulard elogiaram ainda o "contínuo empenho de Moçambique em prol da igualdade de género", indicando que o país africano alcançou recentemente a paridade de género no Conselho de Ministros, em reconhecimento do papel das mulheres como uma força positiva na construção de uma sociedade inclusiva, resiliente e tolerante.

"As Nações Unidas orgulham-se de estar ao lado de Moçambique na construção de um futuro mais seguro, pacífico e mais sustentável para todos. (...) Estamos confiantes de que a parceria que tem sido construída ao longo dos anos entre Moçambique e as Nações Unidas continuará a fortalecer-se com o início de um novo Quadro de Cooperação para o Desenvolvimento Sustentável", concluíram.

Moçambique foi hoje eleito por unanimidade membro não-permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, na vaga que este ano cabia a África preencher e à qual concorria sem oposição, seguindo a habitual concertação no continente.

É a primeira vez que Moçambique ocupa o lugar.

O país lusófono recebeu a totalidade dos 192 votos possíveis, o único a consegui-lo entre os cinco países que hoje concorriam a outras tantas vagas, de acordo com os resultados anunciados a partir da sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, quando eram 17:00 em Maputo (16:00 em Lisboa).

Moçambique representou a sub-região da África Austral nas eleições deste ano, de acordo com o padrão de rotação do Grupo Africano.

Leia Também: Moçambique vai defender diálogo no Conselho de Segurança da ONU

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório