Meteorologia

  • 13 JUNHO 2024
Tempo
25º
MIN 14º MÁX 25º

Rússia continuará na Ucrânia "até que todos os objetivos sejam atingidos"

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, num briefing com jornalistas, abordou ainda a temática dos territórios controlados pela Rússia em Lugansk e Donetsk.

Rússia continuará na Ucrânia "até que todos os objetivos sejam atingidos"
Notícias ao Minuto

12:33 - 03/06/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Guerra na Ucrânia

O Kremlin disse, esta sexta-feira, que "certos resultados foram alcançados" nestes 100 dias de invasão sobre a Ucrânia, noticia o The Guardian. A mesma fonte acrescentou ainda que o trabalho militar no terreno de guerra continuará "até que todos os objetivos de Moscovo sejam atingidos".

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, num briefing com jornalistas, abordou ainda a temática dos territórios controlados pela Rússia em Lugansk e Donetsk, dizendo que "um dos principais objetivos da operação é proteger as pessoas" residentes nessas regiões. "Foram tomadas medidas para assegurar a sua proteção e certos resultados foram alcançados", acrescentou.

Dmitry Peskov teceu ainda algumas considerações acerca do encontro entre o presidente russo, Vladimir Putin, e os presidentes da União Africana e do Senegal, marcado para hoje, em Sochi. Em causa está, como explicou, um encontro que irá centrar-se na "profunda preocupação do continente africano com a crescente crise alimentar e a falta de fertilizantes".

O porta-voz do Kremlin garantiu ainda que o presidente russo dará também ao homólogo senegalês uma explicação "exaustiva" do que está realmente a acontecer com os cereais ucranianos.

A temática dos cereais ucranianos  estará também no topo da agenda quando o ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergey Lavrov, visitar a Turquia na próxima semana, garantiu o Kremlin.

O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas, que ajuda a combater a insegurança alimentar global, compra cerca de metade do trigo da Ucrânia todos os anos, tendo alertado que se registarão consequências terríveis se os portos ucranianos não forem reabertos.

A invasão russa, que teve início à precisamente 100 dias, foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

Leia Também: "Fase prolongada" da guerra. Rússia está a construir defesas em Kherson

Recomendados para si

;
Campo obrigatório