Meteorologia

  • 05 JULHO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 31º

Direitos humanos? Alemanha recusa apoiar investimento na China

O governo alemão recusou pela primeira vez apoiar investimentos na China, devido à situação dos direitos humanos na província de Xinjiang, no noroeste, indicou na sexta-feira o ministro da Economia alemão, Robert Habeck.

Direitos humanos? Alemanha recusa apoiar investimento na China
Notícias ao Minuto

07:17 - 28/05/22 por Lusa

Mundo Xinjiang

Este governante evocou mesmo a possibilidade de sanções contra dirigentes locais.

"Uma empresa com atividades na província dos uigures desejou prolongar as garantias (públicas) dos investimentos", mas que o governo alemão "não validou", disse o ministro ao jornal Die Welt.

"Esta foi a primeira vez que as garantias de investimento não se realizam por razões de direitos humanos", acentuou.

Sem estas garantias, uma empresa assume todo o risco financeiro de um projeto no estrangeiro.

Nem Habeck nem o seu ministério detalharam qual foi a empresa à qual foi recusado o apoio.

Citando fontes não identificadas, a revista Der Spiegel avançou que se trata da Volkswagen.

O segundo construtor automóvel mundial abriu em 2013 uma fábrica em Urumqi, a capital da província do Xinjiang, onde as autoridades chinesas são acusadas de reprimirem as minorias muçulmanas, em particular os uigures.

Fontes ocidentais acusam Pequim de ter internado mais de um milhão de uigures e membros de outros grupos étnicos muçulmanos em "campos de reeducação", impor mesmo "trabalho forçado" e fazer "esterilizações forçadas". Os EUA falam mesmo em "genocídio".

A China fala, por seu lado, em "centros de formação profissional" destinados a erradicar o extremismo.

Leia Também: Alemanha cria 'ponte ferroviária' para as exportações de cereais

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório