Meteorologia

  • 03 JULHO 2022
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 30º

MP francês não vai investigar acusações de violação contra ministro

O Ministério Público de Paris anunciou hoje que não vai abrir abrir qualquer investigação sobre as acusações de violação do ministro da Solidariedade, Damien Abad, por não conseguir identificar as vítimas, não podendo ouvir assim os factos assinalados.

MP francês não vai investigar acusações de violação contra ministro
Notícias ao Minuto

20:40 - 25/05/22 por Lusa

Mundo Damien Abad

No fim de semana, o jornal "Mediapart" publicou uma notícia com o testemunho de duas alegadas vítimas que acusam Damien Abad, recém-nomeado ministro de Emmanuel Macron e antigo líder dos deputados do partido Os Republicanos à Assembleia Nacional, de violação e violências sexuais. O alerta já tinha sido lançado junto das autoridades pelo Observatório de violências sexistas e sexuais.

No entanto, para a justiça francesa, estes relatos não são suficientes para abrir um inquérito ao membro do executivo de Elisabeth Borne já que "não há elementos suficientes para identificar as vítimas dos factos denunciados", não havendo assim "a possibilidade de proceder a um audição" destas mulheres.

Uma das mulheres relatou ao jornal um encontro em 2010 com o antigo deputado em que pensa ter sido drogada num bar em Paris, tendo acordado num quarto de hotel em roupa interior com Damien Abad, e o outro relato data de 2011, com outra mulher a descrever uma relação sexual consentida, que se terá tornado violenta e forçada. Neste último caso, uma queixa foi apresentada em 2012 e outra em 2017, tendo as duas sido arquivadas.

Damien Abad tem mantido a sua inocência, declarando que contesta "ter exercido qualquer tipo coação sob mulheres", tendo ainda dito que não pensa que se deva demitir devido a acusações que não são tidas em conta pela justiça.

Vários protestos têm vindo a acontecer desde o fim de semana para que o ministro seja demitido, com associações feministas a considerarem que as acusações são graves e não lhe permitem manter-se no seu posto. No entanto, a primeira-ministra defendeu que Abad não está acusado formalmente destes crimes e que não há uma investigação em curso.

Leia Também: Ministro francês recusa demitir-se após acusações de violação

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório