Meteorologia

  • 06 JULHO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 31º

Homens usam máscara em apoio a jornalistas afegãs obrigadas a tapar rosto

'FreeHerFace' está a ganhar vários apoiantes nas redes sociais.

Homens usam máscara em apoio a jornalistas afegãs obrigadas a tapar rosto
Notícias ao Minuto

16:41 - 23/05/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Afeganistão

Este mês, o governo talibã do Afeganistão impôs que todas as mulheres - incluindo as pivot de telejornais - cobrissem o rosto.

O caso das jornalistas, na opinião do governo do país, ganharia maior relevo dada a importância dos media e dos respetivos trabalhadores, que representam a imagem da sociedade,  na propagação das virtudes da população afegã.

A medida, contudo, gerou polémica uma vez que, para muitos, é mais uma violação aos diretos das mulheres.

Na sequência disso, têm surgido varias ações de apoio, suportadas pela hashtag 'FreeHerFAce' ('Libertem os seus rostos'), que visa apoiar as mulheres, cujos rostos estão proibidos de se mostrar. A ação ganha maior relevância dado que a maioria dos que se juntaram à causa são homens, incluindo afegãos.

Entre eles, conta-se o pivot principal do canal de notícias afegão TOLO News:

Bem como toda a equipa do telejornal deste canal, que nas redes sociais muitos enaltecem como um ato de contagem por não se deixarem intimidar.

Mas a onda de apoio não se fica pela Afeganistão, com profissionais de todo o mundo a partilhar imagens suas de máscara.

A obrigação em causa, recorde-se, choca com as promessas iniciais dos fundamentalistas, que prometeram quando chegaram ao poder respeitar os direitos das mulheres afegãs.

No entanto, na atualidade, a realidade da vida das mulheres no Afeganistão assemelha-se cada vez mais à era do primeiro regime talibã entre 1996 e 2001, quando estavam confinadas às suas casas, sem a possibilidade de estudar ou trabalhar.

Por detrás de muitos destes regulamentos que restringem os direitos e as liberdades das mulheres está o Ministério da Propagação da Virtude e Prevenção do Vício, uma instituição que foi muito ativa durante o primeiro regime talibã e que se extinguiu com a invasão dos Estados Unidos.

Com o regresso ao poder dos talibãs a 15 de agosto de 2021, a instituição regressou, instalando-se precisamente no agora extinto Ministério dos Assuntos da Mulher.

Leia Também: Talibãs ordenam que apresentadoras de televisão cubram o rosto

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório