Meteorologia

  • 07 JULHO 2022
Tempo
38º
MIN 21º MÁX 38º

Familiar de vítima insulta atirador de Buffalo em pleno tribunal

Payton Gendron foi formalmente acusado de homicídio em 1.º grau, depois de entrar num supermercado e matar dez pessoas num ataque com intenções racistas.

Familiar de vítima insulta atirador de Buffalo em pleno tribunal
Notícias ao Minuto

20:38 - 19/05/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Buffalo

Depois do ataque racista a um supermercado em Buffalo, nos Estados Unidos, os familiares das vítimas estiveram, esta quinta-feira, pela primeira vez no mesmo espaço que Payton Gendron, o adolescente branco acusado de matar dez pessoas e planear mais ataques direcionados a pessoas negras.

À saída do tribunal, depois da audiência na qual o advogado declarou-o inocente numa das acusações, um dos familiares das vítimas insultou Gendron: "Payton, és um cobarde".

Segundo o jornal The Guardian, os jornalistas não tiveram permissão para entrevistarem os 12 familiares presentes, e a identidade da mulher que insultou o atirador não foi relevada.

A próxima audiência está marcada para o dia 9 de junho e, até lá, as autoridades norte-americanas vão continuar a investigar as acusações sobre se os dez homicídios foram crimes de ódio e atos terroristas - algo que o próprio Gendron admitiu nas centenas de mensagens em redes sociais privadas já recolhidas.

Como explica o The Guardian, a lei no estado de Nova Iorque permite que o equivalente ao Ministério Público acuse Gendron com um único processo de homicídio em 1.º grau, pela morte das dez pessoas no supermercado Tops, em Buffalo.

Payton Gendron, de 18 anos, foi acusado de matar dez pessoas no passado sábado em Buffalo, nos Estados Unidos, numa onda de homicídios com motivação racial. O adolescente foi detido no local e as autoridades apontaram para um manifesto racista com centenas de páginas, que terá publicado na internet e no qual defendia a morte de pessoas negras e a existência de raças inferiores.

Gendron terá planeado o ataque ao supermercado Tops, de Buffalo, no estado de Nova Iorque, durante cinco meses. Nas mensagens obtidas pela polícia, o jovem comprometeu-se em matar "suplentes" e em levar avante a teoria racista da substituição - uma teoria da conspiração conservadora, veiculada por canais conservadores como a Fox News e por alguns políticos norte-americanos, que afirmam que o aumento de imigração ilegal e o casamento transracial irá diluir a população caucasiana e inclinar o país para a esquerda.

O adolescente contou em grupos privados nas redes sociais que escolheu o supermercado por ser frequentado por uma comunidade predominantemente negra. Segundo mais mensagens recolhidas pelas autoridades, o jovem sugeriu mais ataques, a escolas primárias, a igrejas e a outros locais onde a maioria das pessoas presentes seria negra.

Além das dez mortes, outras três vítimas ficaram feridas na sequência do ataque - sendo que as mensagens elaboram que o suspeito tencionaria matar mais de três dezenas de pessoas negras.

Leia Também: Acusado de homicídio em 1.º grau detido por matar 10 pessoas em Buffalo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório