Meteorologia

  • 30 JUNHO 2022
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 24º

Líbano recebe aviso vermelho da Interpol para ex-chefe da Renault-Nissan

O Líbano recebeu hoje um aviso vermelho da Interpol referente ao magnata automóvel Carlos Ghosn, quatro semanas depois de os procuradores franceses terem emitido um mandado de captura internacional, segundo funcionários judiciais libaneses.

Líbano recebe aviso vermelho da Interpol para ex-chefe da Renault-Nissan
Notícias ao Minuto

18:40 - 19/05/22 por Lusa

Mundo Interpol

Os funcionários não forneceram mais pormenores sobre o aviso vermelho da Interpol, um pedido não vinculativo às agências de aplicação da lei de todo o mundo para que localizem e detenham provisoriamente um fugitivo.

Um aviso vermelho não é um mandado de captura e não exige que o Líbano prenda Ghosn.

Este é o segundo aviso vermelho que o Líbano recebeu no caso, já que o primeiro foi emitido em janeiro de 2020, poucos dias depois de Ghosn ter fugido do Japão para o país do golfo, numa fuga rocambolesca.

Os funcionários judiciais, que falaram sob condição de anonimato em conformidade com os regulamentos, disseram que o aviso foi recebido hoje pelo Ministério Público em Beirute.

Este novo aviso vermelho chega depois de os procuradores franceses nos subúrbios de Nanterre, em Paris, terem anunciado no mês passado a emissão de um mandado para o antigo chefe da Nissan e da Renault e quatro outras pessoas com base numa investigação aberta em 2019 sobre branqueamento de capitais e abuso de bens da empresa.

Os procuradores investigam milhões de dólares em alegados pagamentos suspeitos feitos entre a aliança Renault-Nissan e Suhail Bahwan Automobiles (SBA), uma empresa de distribuição de veículos em Omã.

O antigo chefe da aliança Nissan-Renault fugiu para o Líbano em 2019, depois de sair sob fiança no Japão, onde enfrentava acusações de má conduta financeira, algo que continua a negar.

No mês passado, Ghosn observou que, apesar do mandado de captura, está impedido de sair do Líbano de qualquer das formas, já que o país não extradita os seus cidadãos e ele tem cidadania libanesa, francesa e brasileira.

Leia Também: Partidos libaneses compraram votos com produtos básicos, diz relatório

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório