Meteorologia

  • 08 AGOSTO 2022
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 27º

Presidente da Moldova insta UE a apoiar aspirações do país à adesão

A Presidente da Moldova, Maia Sandu, instou hoje, num discurso proferido no Parlamento Europeu, os Estados-membros da União Europeia a apoiarem as aspirações do seu país à adesão ao bloco comunitário.

Presidente da Moldova insta UE a apoiar aspirações do país à adesão
Notícias ao Minuto

15:42 - 18/05/22 por Lusa

Mundo Maia Sandu

"A Moldova tem o seu lugar na União Europeia", declarou Maia Sandu, na sessão plenária do Parlamento Europeu, na cidade francesa de Estrasburgo, depois de o país ter apresentado em março um pedido oficial de adesão, no contexto da guerra russa na Ucrânia.

"Temos consciência de que devem ser tomadas decisões políticas ao nível da UE. Sabemos também que não são decisões fáceis. Mas atribuir o estatuto de candidato à Moldova é a decisão certa. Nós pertencemos à União Europeia", sublinhou.

Na sua intervenção no hemiciclo europeu, a chefe de Estado moldova recordou a forma como a invasão russa da Ucrânia, iniciada a 24 de fevereiro, faz eco do passado conturbado da Europa, marcado por "desenfreadas conquistas de terras, conquistas geopolíticas e de esferas de influência".

Ao mesmo tempo, sublinhou a forma como a Moldova e os seus cidadãos responderam "ao choque, ao sofrimento e à incredulidade da guerra com bondade, generosidade e compaixão", acolhendo um grande número de refugiados ucranianos e fornecendo ajuda humanitária à Ucrânia.

De acordo com os mais recentes dados divulgados pelo Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), dos mais de 6,3 milhões de ucranianos que fugiram do país desde o início da ofensiva, que entrou hoje no 84.º dia, a Moldova acolheu mais de 465.000, sendo o quinto país vizinho da Ucrânia que mais pessoas recebeu, a seguir à Polónia, Roménia, Rússia e Hungria.

Sobre a agressão russa, Maia Sandu frisou que o seu país condenou de imediato a guerra contra a Ucrânia.

"Nós apoiamos a soberania e a integridade territorial da Ucrânia, como sempre fizemos. A Crimeia é na Ucrânia. O Donbass é na Ucrânia. Kiev é na Ucrânia. E sempre serão", concluiu.

Leia Também: Neutralidade de Áustria torna-se tema de discussão após pedidos de adesão

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório