Meteorologia

  • 04 OUTUBRO 2022
Tempo
30º
MIN 15º MÁX 31º

"Nunca digas nunca". Melania Trump sugere segunda estadia na Casa Branca

O marido da antiga modelo, Donald Trump, continua a ser apontado por eleitores conservadores como o favorito à corrida à Casa Branca pelo Partido Republicano, apesar de um final de mandato manchado pelo ataque ao Capitólio.

"Nunca digas nunca". Melania Trump sugere segunda estadia na Casa Branca
Notícias ao Minuto

12:05 - 16/05/22 por Notícias ao Minuto

Mundo Estados Unidos

A antiga primeira-dama dos Estados Unidos, Melania Trump, voltou a alimentar a possibilidade de Donald Trump se recandidatar à presidência do país em 2024, depois de sugerir que consideraria voltar à Casa Branca.

Em entrevista à televisão conservadora Fox News, a primeira desde que Trump saiu de funções, Melania enalteceu a presidência do marido, afirmando que o seu mandato "conseguiu fazer muito em quatro anos".

Questionada sobre se gostaria de voltar à Casa Branca, a antiga modelo, nascida na Eslovénia, respondeu simplesmente: "Nunca digas nunca".

Donald Trump continua a fazer parte da política conservadora norte-americana, influenciando a nomeação de candidatos republicanos para as eleições intercalares (ou 'Midterms'), que se realizam em novembro deste ano.

O antigo presidente perdeu as eleições de 2020 para Joe Biden, apesar de continuar a alegar que a eleição foi roubada em estados cruciais - apesar destas alegações não terem sido confirmadas por nenhuma entidade oficial. Trump abandonou a Casa Branca pouco depois do ataque ao Capitólio, que foi invadido por apoiantes seus depois de um comício em frente à residência oficial do presidente norte-americano (o antigo líder do país está a ser investigado judicialmente sobre a influência que teve no ataque).

Melania Trump aproveitou a entrevista para criticar o mandato de Joe Biden, afirmando na entrevista que "é triste ver o que se está a passar". "Acho que muitas pessoas estão em dificuldades, e a sofrer também com o que se passa no mundo. Portanto é muito triste de ver e espero que isso mude rapidamente", disse.

Na entrevista à Fox News, um canal que assume o enviesamento político em relação ao antigo presidente, a antiga primeira-dama recordou outra publicação: a Vogue. A conhecida revista de moda fez capa há cerca de um ano com a atual primeira dama, Jill Biden, retomando a tradição de entrevistar mulheres de presidentes norte-americanas que foi suspensa durante o mandato dos Trump.

"Eles são enviesados e têm os seus gostos e desgostos, isso é muito óbvio. E eu acho que é o povo americano e toda a gente vê isso. Foi a decisão deles e eu tenho coisas mais importantes para fazer do que estar na capa da Vogue", explicou Melania.

Enquanto que as primeiras-damas se envolvem em projetos sociais depois de saírem da Casa Branca, trabalhando nas comunidades e nos assuntos sobre os quais incidiram nos seus mandatos (sejam eles de quatro ou de oito anos), Melania Trump optou por se dedicar aquilo a que chama de "projetos NFT" - as imagens, ou 'tokens não-fungíveis', que são comprados com criptomoedas e cujo investimento tem caído nas últimas semanas devido a uma grave crise neste mercado.

A antiga-primeira dama colocou à venda peças de arte digitais mas, segundo a CNN Internacional, a primeira vaga de NFTs vendidos por Melania Trump não atingiu o limiar desejado dos 250 mil dólares (cerca de 239 mil euros). Melania garante que uma parte das vendas será doada a instituições de caridade -  uma prática que diverge das organizações não-lucrativas criadas por antigas primeiras-damas -, mas o canal norte-americano avança que não foi possível confirmar com a equipa de Melania Trump quanto do valor angariado ficará para a anterior residente da Casa Branca. 

Leia Também: Trump joga a sua influência nas 'Midterms' em apoio a dois candidatos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório