Meteorologia

  • 28 MAIO 2022
Tempo
25º
MIN 16º MÁX 27º

Vaticano espera que detenção do cardeal não complique o diálogo com China

O secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin, afirmou hoje que espera que a detenção e posterior libertação do cardeal Joseph Zen, de 90 anos, em Hong Kong não complique o diálogo com a China.

Vaticano espera que detenção do cardeal não complique o diálogo com China
Notícias ao Minuto

12:00 - 13/05/22 por Lusa

Mundo Vaticano

"Lamento muito este assunto e quero expressar a minha proximidade ao cardeal Zen que foi libertado e bem tratado. A esperança é que iniciativas como esta não venham a complicar o já complexo e longe de ser um caminho fácil de diálogo entre a Santa Sé e a Igreja na China", disse o "primeiro-ministro" do Vaticano aos meios de comunicação social.

A polícia de Hong Kong deteve o cardeal Zen na quarta-feira passada por alegadamente colaborar com forças estrangeiras através de um fundo, agora dissolvido, dedicado a apoiar membros de movimentos de protesto pró-democracia que se mobilizaram na cidade em 2019.

"Opomo-nos firmemente a quaisquer atos de difamação do Estado de Direito de Hong Kong e à interferência nos assuntos de Hong Kong", justificou-se o Ministério dos Negócios Estrangeiros da China aquando da detenção.

O cardeal Zen é conhecido por ser um grande crítico do domínio que Pequim exerce sobre a religião e o monopólio político do país, tendo já chegado a denunciar o poder totalitarista do Partido Comunista Chinês sobre as comunidades religiosas.

Em poucas horas, o antigo bispo de Hong Kong, que foi nomeado cardeal em 2006 e desempenhou um papel ativo durante os protestos antigovernamentais em 2019, foi libertado.

O Vaticano e a China renovaram em outubro de 2020, por mais de dois anos, o acordo assinado em 2018 sobre a nomeação de bispos no país asiático, que foi considerado um passo em frente no estabelecimento de relações entre os dois Estados desde a sua interrupção em 1951.

A única parte conhecida deste acordo, que permanece totalmente secreto, é que o Papa está envolvido na nomeação dos bispos e autoriza-os, o que até há dois anos não era permitido.

No entanto, muitos poucos bispos foram nomeados nesta base nos últimos anos.

Leia Também: Diplomata do Vaticano critica "violência atroz e bárbara" da guerra

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório