Meteorologia

  • 02 ABRIL 2023
Tempo
14º
MIN 11º MÁX 22º

Moçambique. Nyusi quer aposta no turismo para combater pobreza

O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, defendeu hoje uma aposta no turismo para combater a pobreza, apontando como exemplo o novo 'resort' que inaugurou ao lado de Marcelo Rebelo de Sousa, chefe de Estado português.

Moçambique. Nyusi quer aposta no turismo para combater pobreza

O empreendimento hoteleiro vai dar emprego aos residentes e "pressionar" a produção local, porque "vai consumir frango nacional, peixe de Matutuine", distrito onde está localizado, bem como hortícolas produzidos na região.

Tudo junto é um estímulo à criação de riqueza entre a população, um estímulo de que o país precisa para ambicionar sair da lista dos mais pobres do mundo.

O turismo é visto assim pelo Governo como uma "força motriz", realçou Filipe Nyusi, destacando o crescimento da procura doméstica durante a pandemia.

"Aprendemos com a pandemia" que a não é preciso ir passar férias no exterior, sublinhou, apelando agora ao setor privado "para que continue a apostar no turismo doméstico enquanto mecanismo catalisador e alternativo".

O objetivo é que o turismo seja visto como "a indústria sem chaminé, da paz, amiga do ambiente e promotora do encontro entre culturas".

O investimento de nove milhões de euros do grupo Visabeira está inserido no Parque Nacional de Maputo, a cerca de 100 quilómetros da capital, Maputo.

Para chegar ao Montebelo Milibangalala Bay Resort é preciso sair do alcatrão e atravessar cerca de 40 quilómetros de picada por entre animais como elefantes e girafas, circundar lagoas com hipopótamos e inúmeras outras espécies.

Um contexto perante o qual o Presidente português se confessou enfeitiçado e Filipe Nyusi só espera que o mesmo aconteça a muitos outros visitantes, porque o turismo está na lista de desejos de diversificação da economia.

É a ponte que o chefe de Estado vislumbra para alcançar "mais emprego" e "melhoria da qualidade de vida", numa altura em que "a economia global cicatriza" apos uma pandemia de covid-19 que alastrou "como fogo numa floresta", atingindo sobretudo o turismo.

O recuo das infeções, sobretudo em Moçambique, após um pico da quarta vaga em janeiro, já permitiu aligeirar as restrições à circulação, esperando-se que 2022 seja um ano de retoma.

O sol, céu azul e a paisagem sobre o Índico convidam e Nyusi confidenciou com a plateia, nos discursos após a cerimónia de inauguração, que o Presidente português já lhe tinha perguntado se depois seria possível ir à praia.

O Presidente moçambicano respondeu que sim, "e aqui [no 'resort'] há fatos de banho disponíveis, não há problema", sublinhou.

Os dois chefes de Estado almoçaram em privado depois dos discursos no segundo de quatro dias de visita de Marcelo Rebelo de Sousa a Moçambique.

A partida de ambos da ponta Milibangalala deve acontecer como a chegada, de helicóptero, durante a tarde, em direção a Maputo, onde o Presidente português visita ainda hoje a Universidade Eduardo Mondlane (UEM).

Leia Também: Forças governamentais abatem dez terroristas na Ilha de Matemo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório