Meteorologia

  • 22 MAIO 2022
Tempo
21º
MIN 17º MÁX 22º

Rússia acusada de mentir e convocar Conselho de Segurança para propaganda

A Rússia foi hoje acusada por vários diplomatas de divulgar mentiras e desinformação acerca de alegados programas de armas biológicas na Ucrânia e de convocar o Conselho de Segurança da ONU para difundir propaganda favorável ao Kremlin.

Rússia acusada de mentir e convocar Conselho de Segurança para propaganda
Notícias ao Minuto

18:28 - 11/03/22 por Lusa

Mundo Ucrânia

Em causa está uma sessão extraordinária do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), convocada para hoje por Moscovo, sobre a alegação de que a Ucrânia possui dezenas de laboratórios biológicos experimentais perigosos para criar agentes patogénicos como a cólera, financiados pelo Governo norte-americano.

Na sua declaração na sessão extraordinária, o embaixador da Rússia na ONU, Vasily Nebenzya, afirmou ter na sua posse documentos que mostram exemplos chocantes de estudos para criar bactérias letais a partir de aves, morcegos e insetos.

Contudo, o posicionamento de Nebenzya foi condenado por vários embaixadores presentes na reunião, que acusaram o homólogo russo de mentir e de usar o seu assento permanente no Conselho de Segurança da ONU para espalhar desinformação e "alterar o propósito" do próprio Conselho de Segurança.

"A Rússia pediu esta reunião apenas com o intuito de divulgar falsas informações e enganar as pessoas para justificar a guerra de escolha do Presidente Putin contra a Ucrânia e o povo ucraniano. (...)É a Rússia que tem uma história bem documentada de usar armas químicas", indicou a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Linda Thomas-Greenfield.

Também a embaixadora do Reino Unido da ONU, Barbara Woodward, condenou as acusações de Vasily Nebenzya, classificando-as como "sem sentido nenhum".

"A Rússia trouxe hoje ao Conselho de Segurança uma série de teorias de conspiração graves, completamente infundadas e irresponsáveis. Deixe-me dizer isto diplomaticamente: sem sentido nenhum. Não há um pingo de evidência confiável de que a Ucrânia tenha um programa de armas biológicas", avaliou a diplomata.

Barbara Woodward enumerou então o "grande conjunto de mentiras" que a Rússia tem alegadamente apresentado ao mundo nas últimas semanas.

"A Rússia disse que não invadiria a Ucrânia. Invadiram. O ministro das Relações Exteriores russo, Lavrov, disse que não invadiram, e ele repetiu esse absurdo ontem. Um grande conjunto de mentiras. Os russos disseram que a Ucrânia estava a preparar uma 'bomba suja'. Isso também era mentira. A Rússia disse ontem que uma mulher grávida encenou os seus ferimentos no atentado ao hospital Mariupol. Isso foi uma mentira grotesca", assinalou.

"A Rússia está hoje a afundar-se a novas profundidades, mas este Conselho não deve ser arrastado por ela. (...) Não nos sentamos nesta Câmara para ser uma audiência para a propaganda interna da Rússia. E não devemos permitir que a Rússia abuse do seu assento permanente para espalhar desinformação e mentiras e perverter o propósito do Conselho de Segurança", frisou a diplomata do Reino Unido.

O representante permanente da Albânia, o embaixador Ferit Hoxa, chamou as alegações russas de "guerra de informação" e observou que a Rússia já usou armas químicas contra os seus próprios cidadãos, como Alexei Navalny, o líder da oposição.

Já o representante permanente do Brasil na ONU, embaixador João Genésio de Almeida Filho, apelou a que as acusações sobre uso de armas biológicas feitas pela Rússia sejam "fundamentadas".

A guerra na Ucrânia entrou hoje no 16.º dia, sem que se conheça o número exato de baixas civis e militares.

A ONU contabilizou 564 mortos e 982 feridos civis, até quinta-feira, incluindo 41 crianças mortas e 52 feridas.

Também segundo dados da ONU, a guerra forçou 4,5 milhões de pessoas a fugir de casa, das quais 2,5 milhões procuraram refúgio nos países vizinhos, na pior crise do género na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão da Ucrânia foi condenada pela generalidade da comunidade internacional e levou à imposição de sanções à Rússia em praticamente todos os setores, da banca ao desporto.

[Notícia atualizada às 19h13]

Leia Também: Ucrânia. ONU diz desconhecer "programa de armas biológicas" na Ucrânia

Notícias ao Minuto nomeado para os Prémios Marketeer

O Notícias ao Minuto é um dos nomeados da edição de 2022 dos Prémios Marketeer, na categoria de Digital Media. As votações decorrem até ao próximo dia 31 de maio.

Para nos ajudar a vencer, basta aceder ao site da iniciativa organizada pela revista Marketeer, clicando aqui, e proceder ao preenchimento do formulário, selecionando Notícias ao Minuto na categoria de Digital Media e formalizando depois a votação. Obrigada pela sua preferência!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório