Meteorologia

  • 10 AGOSTO 2022
Tempo
26º
MIN 17º MÁX 26º

França rejeita saída do Mali e adverte sobre a segurança dos soldados

O Presidente francês, Emmanuel Macron, rejeitou hoje a exigência da junta militar no poder em Bamako de retirar "sem demora" os soldados franceses do Mali e advertiu contra qualquer ameaça à sua segurança.

França rejeita saída do Mali e adverte sobre a segurança dos soldados
Notícias ao Minuto

15:32 - 18/02/22 por Lusa

Mundo Mali

"Anunciámos a rearticulação do dispositivo e esta será aplicada em boa ordem para garantir a segurança da missão da ONU e de todas as forças destacadas no Mali. Não transigirei por um segundo na sua segurança", advertiu o chefe de Estado numa conferência de imprensa após a 6ª Cimeira União Europeia/União Africana (UE/UA), em Bruxelas.

A operação francesa será reposicionada no Níger, acrescentou Emmanuel Macron.

A junta no poder em Bamako apelou hoje à França para "retirar sem demora" os seus soldados do Mali, um dia depois de Paris e os seus parceiros terem anunciado uma retirada faseada ao longo dos próximos meses.

Numa declaração lida na televisão nacional, o porta-voz do Governo militar instalado, o coronel Abdoulaye Maiga, chamou ao anúncio da retirada francesa uma "flagrante violação" dos acordos entre os dois países.

"Será a Minusma [Missão Integrada das Nações Unidas para a Estabilização do Mali] capaz de ficar no Mali? Quem vai garantir a sua segurança?", perguntou o presidente da União Africana, Macky Sall, do Senegal.

"A Minusma é uma força de manutenção da paz. São capacetes azuis. Não têm nem o equipamento nem o mandato para travar uma guerra. Quem vai protegê-los?", insistiu o chefe de Estado senegalês.

A União Europeia (UE) tem 600 pessoas em duas missões de formação, incluindo uma militar, no Mali.

A Minusma, criada em 2013 após o surto da independência e das insurreições 'jihadistas' no ano anterior, emprega mais de 12.000 soldados no Mali.

É a missão mais mortífera do mundo para os soldados da paz, contabilizando já mais de 150 mortes em atos hostis.

Leia Também: Ucrânia. Macron apela a cessar-fogo e regresso ao diálogo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório