Meteorologia

  • 08 AGOSTO 2022
Tempo
26º
MIN 16º MÁX 28º

Austrália retira pessoal da embaixada em Kiev

A Austrália anunciou hoje ter começado a retirar o pessoal da embaixada em Kiev para outra cidade do país devido ao risco de conflito entre a Ucrânia e a Rússia.

Austrália retira pessoal da embaixada em Kiev

A ministra dos Negócios Estrangeiros australiana, Marise Payne, afirmou que o pessoal da embaixada foi temporariamente transferido para Lviv, a sexta cidade mais populosa da Ucrânia, no oeste do país, a cerca de 70 quilómetros da fronteira polaca, onde serão prestados serviços consulares aos australianos.

"Continuamos a aconselhar os australianos a deixar a Ucrânia imediatamente", disse Payne, dado que "as condições de segurança podem mudar a curto prazo" e por as autoridades australianas considerarem que as ações militares russas poderão "limitar severamente" a capacidade de prestar assistência consular, de acordo com um comunicado.

Por outro lado, o primeiro-ministro australiano disse que "a situação está a atingir uma fase muito perigosa" e considerou "completamente inaceitáveis" as "ações autocráticas e unilaterais da Rússia para ameaçar e intimidar a Ucrânia".

Em conferência de imprensa, Scott Morrison criticou o papel da China na crise, acusando o país de manter um "silêncio terrível" sobre o destacamento de soldados russos para a fronteira ucraniana.

Morrison, cujo governo tem uma relação tensa com a China há anos, sublinhou que a Austrália "não pode aceitar de ânimo leve a coligação de autocracias" que tentam intimidar outros países.

O Ocidente acusa a Rússia de ter reunido dezenas de milhares de tropas junto à fronteira da Ucrânia para invadir novamente o país, depois de ter anexado a península da Crimeia em 2014, e de apoiar, desde então, uma guerra separatista no Donbass (leste ucraniano).

A Rússia nega essa intenção, mas condiciona o desanuviamento da crise a exigências que diz serem necessárias para garantir a sua segurança, incluindo garantias de que a Ucrânia nunca fará parte da NATO.

Leia Também: Ucrânia. Milhares manifestam-se em Kiev contra possível ofensiva russa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório