Meteorologia

  • 19 ABRIL 2024
Tempo
20º
MIN 15º MÁX 21º

Coligação da Arábia Saudita nega responsabilidade em bombardeamento

A coligação militar liderada pela Arábia Saudita negou hoje o envolvimento no bombardeamento que provocou mais de 70 mortos num centro de detenção em Saada, no norte do Iémen, um reduto de rebeldes Houthis, na sexta-feira.

Coligação da Arábia Saudita nega responsabilidade em bombardeamento
Notícias ao Minuto

08:09 - 22/01/22 por Lusa

Mundo Iémen

"Estas reivindicações da milícia (Houthis) são infundadas", disse o porta-voz da aliança Turki al-Malki num comunicado da agência noticiosa oficial saudita SPA, referindo-se ao bombardeamento da prisão em Saada.

De acordo com a declaração, a coligação, que tem vindo a intervir no Iémen desde 2015, conduziu uma "revisão abrangente após a ação [do bombardeamento], em conformidade com o mecanismo interno do Comando Conjunto das Forças da Coligação, e estas reivindicações provaram ser infundadas".

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou estes ataques aéreos na sexta-feira e pediu "investigações rápidas, eficazes e transparentes" para que os responsáveis prestem contas.

Pelo menos 70 pessoas foram mortas nos ataques aéreos contra o centro de detenção em Saada, bastião dos rebeldes Huthis no norte do Iémen, denunciaram os Médicos Sem Fronteiras (MSF), numa comprovação da escalada da violência no país.

Antes, Bachir Omarom, porta-voz do Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICR) no Iémen, tinha-se referido a "mais de 100 mortos ou feridos", ao citar o balanço dos hospitais após o ataque realizado durante a noite e que não foi reivindicado no imediato.

Leia Também: Iémen. Pelo menos 70 mortos em bombardeamento de prisão

Recomendados para si

;
Campo obrigatório