Meteorologia

  • 19 AGOSTO 2022
Tempo
22º
MIN 22º MÁX 37º

Covid-19. Manifestações maiores contra medidas do Governo na Alemanha

As manifestações semanais contra as medidas de combate à covid-19 do Governo alemão reuniram mais participantes na primeira segunda-feira do ano do que em ocasiões anteriores, de acordo com dados divulgados hoje pelas autoridades regionais.

Covid-19. Manifestações maiores contra medidas do Governo na Alemanha
Notícias ao Minuto

13:12 - 04/01/22 por Lusa

Mundo Covid-19

Cerca de 50.000 pessoas manifestaram-se no estado federal de Baden-Württemberg, no sudoeste da Alemanha, afirmou hoje o ministro do Interior da região, Thomas Strobl.

Segundo o responsável, este número é "muitíssimo grande" e foi conseguido na sequência de 170 convocatórias para protestos feitas em toda a região, muitos dos quais não foram autorizados, tendo adotado a forma de "passeios coletivos" anunciados nas redes sociais e aplicações de mensagens como o Telegram.

"O Estado de Direito não pode olhar para o outro lado", defendeu Strobl, considerando que este tipo de organização de protestos "é punível" por lei.

No estado federado ('Länder') da Turíngia (centro leste do país), as manifestações juntaram cerca de 17.000 pessoas, de acordo com números avançados hoje pela polícia, que garantiu que, com exceção de alguns episódios isolados, as manifestações foram pacíficas.

Em Meclemburgo-Pomerânia Ocidental (nordeste), as manifestações contra as medidas governamentais atraíram, há pouco menos de uma semana, cerca de 12.000 participantes em 20 locais diferentes.

Na Baviera (sul), reuniu-se um total de 10.000 pessoas, segundo dados da polícia, número semelhante ao contabilizado na Saxónia, no leste do país.

O resto do país também registou protestos que, embora menos concorridos, foram muitas vezes acompanhados de manifestações contra o cariz de extrema-direita de grande parte do movimento de oposição às medidas do Governo.

Entre os vários protestos, o único que registou incidentes violentos na segunda-feira ocorreu no município de Lichtenstein, no estado da Saxónia. Catorze polícias ficaram feridos num confronto com um grupo de manifestantes, um dos quais mordeu um agente, de acordo com a direção da polícia local.

Em Berlim, várias centenas de manifestantes reuniram-se em frente à sede do canal público de televisão ZDF e gritaram frases associadas à extrema-direita como "imprensa mentirosa", numa manifestação que foi condenada pela Associação de Jornalistas Alemães (DJV).

Desde que o novo Governo do chanceler Olaf Scholz anunciou a intenção de adotar a vacinação obrigatória contra a covid-19, os protestos semanais têm aumentado.

Representantes de vários partidos políticos admitiram estar preocupados com a crescente radicalização do movimento, que se mistura, em grande parte do país, com a extrema-direita e com grupos de tendências esotéricas.

Leia Também: Presidente alemão garante apoios para 2.º mandato a partir de fevereiro

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório