Meteorologia

  • 19 AGOSTO 2022
Tempo
22º
MIN 22º MÁX 37º

OMS quer que 70% da população mundial esteja vacinada em meados de 2022

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu hoje a mobilização de governos, farmacêuticas e sociedade para que 70% da população de todos os países esteja vacinada contra a covid-19 em meados de 2022.

OMS quer que 70% da população mundial esteja vacinada em meados de 2022
Notícias ao Minuto

16:36 - 29/12/21 por Lusa

Mundo Covid-19

O pedido foi feito pelo diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, na habitual videoconferência de imprensa da OMS sobre a evolução da pandemia da covid-19.

"Quero que governos, indústria e sociedade civil trabalhem connosco numa campanha que visa 70% de cobertura de vacinas em todos os países até ao início de julho", afirmou, depois de lamentar que não tenha sido atingida a primeira meta - a de 40% da população de todos os países estar vacinada até ao fim de 2021.

Segundo Tedros Adhanom Ghebreyesus, 92 países - de um total de 194 - não alcançaram esta meta.

"Não é apenas uma vergonha moral, custou vidas e deu ao vírus a oportunidade de circular e sofrer mutações", disse, assinalando que "este é o momento de superar nacionalismos de curto prazo e proteger as populações e economias contra as variantes futuras, acabando com a desigualdade global das vacinas".

Ghebreyesus acusou os países mais ricos de terem prejudicado a distribuição equitativa de vacinas contra a covid-19 e "criarem as condições ideais para o aparecimento de novas variantes" do coronavírus SARS-CoV-2, ao açambarcarem vacinas.

"Não devemos apenas partilhar vacinas de forma mais rápida e equitativa, como devemos apoiar os países na sua produção e distribuição para todos", sustentou, advertindo que "a ênfase" dada pelos países ricos às doses de reforço, para travar a propagação da variante Ómicron, pode voltar a penalizar as populações dos países mais pobres que ainda não têm a vacinação primária, e, por isso, em maior risco de doença grave, hospitalização e morte.

De acordo com o dirigente da OMS, "a chave" do fim da pandemia está no fim da desigualdade na distribuição e administração de vacinas.

A covid-19 é uma doença respiratória causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado há dois anos na China e que se disseminou rapidamente pelo mundo. Várias variantes do vírus circulam, sendo a Ómicron, identificada recentemente, a mais contagiosa de todas.

A pandemia da covid-19 provocou mais de 5,41 milhões de mortes em todo o mundo, segundo o balanço atualizado da agência noticiosa AFP.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.921 pessoas e foram contabilizados 1.330.158 casos de infeção, de acordo com dados da Direção-Geral da Saúde.

Leia Também: OMS alerta para "tsunami de casos" com variantes Delta e Ómicron

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório