Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2022
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 16º

Libertados estudantes que foram presos por brincarem com o Boko Haram

Três estudantes, presos em 2016 por partilharem uma mensagem de texto sarcástica referente ao grupo jihadista nigeriano Boko Haram, foram libertados, anunciou hoje a Amnistia Internacional (AI).

Libertados estudantes que foram presos por brincarem com o Boko Haram

Fomusoh Ivo Feh, Afuh Nivelle Nfor e Azah Levis Gob, condenados a 10 anos de prisão em 2 de novembro de 2016 por um tribunal militar por "não terem comunicado informações relacionadas com o terrorismo", foram libertados no passado fim-de-semana, anunciou a AI num comunicado enviado à agência Efe.

A libertação ocorre depois de o Supremo Tribunal dos Camarões ter decidido no dia passado 16 reduzir a pena atribuída aos três estudantes de dez para cinco anos de prisão, entretanto decorridos.

"A libertação de Fomusoh Ivo Feh, Afuh Nivelle Nfor e Azah Levis Gob, três jovens que foram punidos sem sentido por simplesmente partilharem uma piada nos telemóveis, é um grande alívio", afirmou a diretora da AI para a África Ocidental e Central, Samira Daoud, citada pela Efe.

"Estes três estudantes estavam meramente a exercer o seu direito à liberdade de expressão e nunca deveriam ter sido presos. As autoridades camaronesas devem proteger os direitos humanos e assegurar que todos possam falar livremente, sem medo de represálias", acrescentou.

Em dezembro de 2014, Feh recebeu uma mensagem de texto de um amigo dizendo: "Boko Haram recruta jovens com 14 anos ou mais. Condições de recrutamento: 4 matérias na GCE (certificado geral de educação, na sigla em francês), incluindo religião".

A mensagem foi concebida como um comentário sobre a dificuldade de encontrar um bom emprego sem ser altamente qualificado, brincando o amigo com a circunstância de que nem Boko Haram o recrutaria sem bons resultados nos exames.

Feh enviou a mensagem a Nfor, que a encaminhou para Gob. Um dos professores viu o texto, depois de confiscar um dos telefones, e mostrou-o à polícia.

Ivo e os seus amigos foram presos e transferidos para uma prisão em Yaoundé em 14 de janeiro de 2015, e depois foram condenados a dez anos de prisão em 2016.

O grupo armado 'jihadista' Boko Haram luta desde 2009 para impor um estado islâmico na Nigéria - um país predominantemente muçulmano no norte e de maioria cristã no sul -- mas expandiu a sua atuação a toda a região do Lago Chade - que inclui territórios no Níger, Chade e norte dos Camarões.

Leia Também: Conflito interno nos Camarões mata pelo menos 44 pessoas e fere 111

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório