Meteorologia

  • 21 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Edição

Londres acorda com novas restrições provocadas pela Ómicron

Inglaterra anunciou novas medidas no sábado para tentar retardar a disseminação da nova variante do coronavírus Ómicron, recentemente identificada. As medidas entraram em vigor hoje, às 4 da manhã, em todo o território nacional.

O objetivo destas medidas é segundo o governo britânico, evitar a propagação da nova variante do coronavírus, Omicron, e entraram em vigor a partir das 4h00 da manhã de hoje.

Estas medidas terão como principal objetivo serem "uma precaução" enquanto mais informações são recolhidas e avaliadas sobre a transmissibilidade da variante e qualquer possível necessidade de modificar as vacinas que já existem para se adaptarem a esta nova realidade.

Segundo o governo, "as vacinas continuam a ser a melhor defesa" e por esse motivo aconselham "todos os adultos que ainda não receberam a sua primeira ou segunda dose da vacina, ou aqueles que são elegíveis para reforço, a apresentaram-se para ajudar a proteger-se a si mesmos e a outras pessoas".

No Reino Unido, o programa de reforço de vacinas foi estendido a todos os jovens de 18 a 39 anos e o intervalo entre a segunda dose e o reforço foi reduzido para três meses. A acrescentar a esta realidade, todos aqueles com idade entre 12 e 15 anos foram agora aconselhados a receber uma segunda dose da vacina da Pfizer-BioNTech.

A partir das 4h00 desta manhã, em todo o Reino Unido os ingleses foram obrigados a obedecer a novas regras, nomeadamente: uso de máscara obrigatória em lojas e estabelecimentos como bancos, correios, cabeleireiros e transportes públicos. Os hotéis não fazem parte desta lista.

Para além destas medidas, todas as chegadas internacionais devem fazer um teste de PCR no final do segundo dia após a chegada e isolar-se até receber um resultado negativo.

Os contatos com casos suspeitos de Ómicron devem isolar-se, independentemente da idade ou estado de vacinação.

O incumprimento destas regras pode levar a multas que iniciam nas 200 libras (236 euros). 

Veja na galeria como a cidade de Londres acordou para este regresso a medidas restritivas.

Recorde-se que Inglaterra encontrava-se quase sem nenhuma medida de restrição desde julho do ano passado quando decretou o  'Freedom Day', na altura uma decisão bastante criticada a nível internacional.

Leia Também: Covid-19. Reino Unido regista mais 35 mortes e 42.583 novos casos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório