Meteorologia

  • 17 JANEIRO 2022
Tempo
11º
MIN 7º MÁX 15º

Edição

Irão recusa encontrar-se com negociadores dos EUA

O governo do Irão confirmou que não se vai realizar hoje o encontro entre os representantes de Teerão e de Washington na capital austríaca para as negociações no quadro da recuperação do acordo de 2015.

Irão recusa encontrar-se com negociadores dos EUA
Notícias ao Minuto

12:10 - 29/11/21 por Lusa

Mundo Teerão

"Não há conversações bilaterais entre as delegações do Irão e dos Estados Unidos em Viena", disse em conferência de imprensa o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano, Said Khatibzadeh.

Entretanto, o coordenador europeu responsável pelas negociações, o espanhol Enrique Mora anunciou que alguns contactos já começaram na Áustria.

"Estou de regresso a Viena para a sétima ronda de conversações para encarrilar o #JCPOA [Plano de Ação Conjunto Global, como é designado o acordo nuclear com o Irão]. Intenso trabalho preparatório em curso", escreveu Mora numa curta mensagem que difundiu através da rede social Twitter.

Na mesma mensagem, o coordenador europeu informa que já se encontrou, no domingo, com o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Ali Bagheri Kani, e com os representantes de Pequim e de Moscovo.

"Hoje de manhã também me vou reunir com os parceiros europeus e norte-americanos antes da Comissão Mista (do JCPOA)", acrescentou. 

Enrique Mora referia-se diretamente ao grupo negocial do acordo nuclear e que está ameaçado desde que Washington o abandonou unilateralmente em 2018.

Tal como as seis rondas anteriores - paralisadas durante cinco meses devido às eleições presidenciais iranianas - as negociações para salvar o acordo sobre energia nuclear do Irão vão decorrer de forma indireta com os Estados Unidos face à recusa de Teerão em sentar-se à mesma mesa que os negociadores norte-americanos. 

Deste modo, as delegações da Rússia, China, França e Reino Unido e Alemanha, coordenadas pela União Europeia, vão reunir-se com a delegação do Irão num hotel em Viena, mas os negociadores dos Estados Unidos, que se encontram num outro ponto da capital da Áustria, vão acompanhar o encontro, através de intermediários. 

A nova ronda decorre num ambiente de desconfiança entre todas as partes e numa altura em que o Irão parece estar mais perto da capacidade de fabrico de uma bomba nuclear.

O governo do novo presidente iraniano, Ebrahim Raissi, exige que os Estados Unidos eliminem as sanções económicas contra o país e ofereçam garantias de que não vão abandonar o novo acordo nuclear, como aconteceu durante a Administração do Presidente Donald Trump.

Em 2019, o Irão retaliou com a produção de mais urânio do que estava acordado e este ano o grau de pureza de urânico atingiu os 60%, mais perto do limite necessário para o fabrico de material bélico que requer 90% de pureza. 

Paralelamente, o Organismo Internacional de Energia Atómica tem alertado que os inspetores não têm o acesso necessário para garantir as verificações das atividades nucleares iranianas.

PSP // PAL

Lusa/fim

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório