Meteorologia

  • 26 MAIO 2022
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 32º

Irão. Teerão acusa Agência Atómica de tratamento discriminatório

O Irão acusou a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) de tratamento discriminatório, dias depois de ter recebido a visita do diretor-geral, Rafael Grossi, em Teerão.

Irão. Teerão acusa Agência Atómica de tratamento discriminatório
Notícias ao Minuto

15:03 - 26/11/21 por Lusa

Mundo Irão

um facto. A AIEA não está a tratar o Irão como deveria. Já o dissemos várias vezes", acusou, na noite de quinta-feira, Behrouz Kamalvandi, porta-voz da Organização Iraniana de Energia Atómica (OIEA).

Para Kamalvandi, um tal tratamento discriminatório deve-se, "antes de mais, ao facto de as organizações internacionais estarem sob a influência de países poderosos".

Poucos dias antes do regresso - marcado para segunda-feira, em Viena - às negociações com as grandes potências para salvar o acordo nuclear com o Irão -- que está suspenso desde junho - o clima está tenso.

"As discussões foram construtivas, mas não conseguimos chegar a um acordo, apesar dos meus melhores esforços", disse Rafael Grossi após a visita a Teerão e no primeiro dia de um Conselho de Governadores da AIEA, na capital austríaca.

Kamalvandi, por seu lado, atribuiu as dificuldades ao Ocidente e à postura que demonstram nas negociações.

«Estamos a tentar, face à atitude da comunidade internacional, fazer valer os nossos direitos e contrariar a imagem negativa que tentam criar contra nós. Os ocidentais dizem que pretendemos obter armas nucleares e que isso foi necessário para nos impedir de o fazer", defendeu o porta-voz da agência iraniana.

"A indústria nuclear é uma indústria essencial na qual devemos empenhar-nos. Acima de tudo, não devemos desistir. Bem pelo contrário, devemos prosseguir os nossos esforços", concluiu Kamalvandi.

O acordo de Viena - assinado em 2015, entre o Irão, de um lado, e os Estados Unidos, Reino Unido, China, Rússia, França e Alemanha do outro -- permitiu o levantamento de sanções internacionais a Teerão, mas em 2018, os Estados Unidos abandonaram unilateralmente o pacto e restabeleceram as sanções contra Teerão.

Em retaliação contra as novas sanções, o Irão intensificou o seu programa nuclear.

As negociações de Viena, que serão retomadas na segunda-feira, envolverão o Irão e os demais países que ainda fazem parte do acordo, com os Estados Unidos a participar indiretamente nas discussões.

Leia Também: Chefe da AIEA lamenta "ausência de acordo" com o Irão quanto ao nuclear

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório