Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2021
Tempo
14º
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Reino Unido pede a França que aceite de volta migrantes ilegais

O primeiro-ministro britânico apelou hoje à França para que aceite de volta os migrantes que entraram ilegalmente no Reino Unido provenientes da costa francesa, acentuando as persistentes divergências entre os dois países sobre questões migratórias.

Reino Unido pede a França que aceite de volta migrantes ilegais

"Propomos que coloquemos em prática um acordo bilateral de readmissão para permitir o retorno de todos os migrantes ilegais que atravessam o Canal da Macha", salientou hoje Boris Johnson, numa mensagem divulgada através da rede social Twitter.

O governante britânico referia-se a um acordo semelhante aos que existem entre a União Europeia (UE) e a Bielorrússia ou Rússia, noticia a agência AFP.

Para o primeiro-ministro britânico, esta medida "teria um efeito imediato e reduziria consideravelmente, ou interromperia mesmo, as travessias [ilegais]".

O naufrágio ocorrido na quarta-feira, que causou a morte a 27 migrantes, foi o mais mortal desde o aumento, em 2018, das travessias irregulares migratórias do Canal da Mancha, que liga França ao Reino Unido, face ao crescente bloqueio do porto de Calais e do túnel utilizado até então por migrantes que tentavam chegar a Inglaterra.

O Presidente francês Emmanuel Macron já tinha defendido, durante uma viagem a Zagreb, que a França é um país de trânsito e que está a lutar "contra as redes de tráfico", apontando que para isso é necessário "uma melhor coordenação europeia".

Numa demonstração de sintonia, a secretária britânica do Interior, Priti Patel, pediu "um esforço internacional coordenado" perante o parlamento britânico.

França convidou na quinta-feira os ministros belga, alemão, holandês e britânico responsáveis pela imigração, e a Comissão Europeia, para um encontro no domingo em Calais (norte), um dia após o naufrágio da embarcação no Canal da Mancha.

"Esta reunião deverá permitir definir as vias e meios de reforçar a cooperação policial, judicial e humanitária" para "melhor combater as redes de traficantes envolvidas nos fluxos migratórios", precisou o gabinete do primeiro-ministro francês, Jean Castex.

Alguns analistas mostraram-se céticos com esta aparente vontade de cooperação entre Paris e Londres, cujas posições nesta matéria são frequentemente divergentes.

As travessias ilegais, que regularmente despertam tensões entre estes países, são delicadas para o Governo britânico, que fez da luta contra a imigração uma das bandeiras para o 'Brexit'.

Em comunicado, na sequência de conversações entre Priti Patel e o seu homólogo francês, Gerald Darmanin, o Ministério do Interior britânico referiu que fez "uma oferta clara à França em termos de cooperação (...) e patrulhas conjuntas para prevenir a realização destas viagens perigosas".

A França sempre rejeitou estas propostas para patrulhas conjuntas, apresentadas várias vezes por Boris Johnson, por questões de soberania.

Leia Também: Migrantes. França reforça operações de resgate e vigilância após tragédia

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório