Meteorologia

  • 29 NOVEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Oposição pede destituição de Castillo por "permanente incapacidade moral"

A oposição peruana formalizou hoje no Congresso do Peru um pedido de destituição do Presidente da República, o esquerdista Pedro Castillo, por "permanente incapacidade moral".

Oposição pede destituição de Castillo por "permanente incapacidade moral"
Notícias ao Minuto

21:28 - 25/11/21 por Lusa

Mundo Peru

A moção foi promovida pela terceira vice-presidente do Congresso, Patricia Chirinos, da direita, e apresentada com 28 assinaturas, mais duas que o mínimo exigido pela lei peruana para que, em primeira instância, se discuta a sua eventual admissão.

Para que a questão de fundo seja posteriormente debatida, são necessários 52 votos a favor e, para a eventual destituição do chefe de Estado, são precisos 87 votos dos 130 representantes parlamentares.

Por enquanto, analistas e a imprensa local indicam que a moção não tem o apoio necessário para ser admitida a debate.

O documento conta com as assinaturas de deputados dos grupos parlamentares da direita Renovação Popular, Avança País e Força Popular, liderado por Keiko Fujimori, que em junho passado perdeu para Castillo a sua terceira corrida consecutiva à Presidência do Peru.

Entre os argumentos invocados para considerar a "incapacidade moral" de Castillo, está o presumível uso ilegal de fundos na sua campanha eleitoral deste ano, em que representou o partido marxista Peru Livre, do qual em seguida se afastou.

Além disso, aponta-se que nomeou "altos funcionários ligados ao terrorismo e acusados de apologia do terrorismo" e do crime de tráfico de influência nas promoções dos altos comandos das Forças Armadas e das chefias da Superintendência Nacional das Alfândegas e da Administração Tributária (Sunat).

Sustenta-se também que procedeu a um "enfraquecimento do sistema democrático" do país, por "fortalecer as relações com Governos antidemocráticos como a Venezuela e autorizar a ingerência de personalidades estrangeiras em assuntos internos", entre as quais se refere o ex-presidente boliviano Evo Morales.

Os signatários acrescentam que durante o Governo de Castillo, que se iniciou a 28 de julho último, se registou um "enfraquecimento da liberdade de expressão", além de "mau tratamento de órgãos de comunicação social e recusa de prestar contas à sociedade", bem como "permissividade quanto à violência sobre as mulheres".

Por esses motivos, a moção solicita que se "declare a permanente incapacidade moral" de Castillo e a sua remoção do cargo, para que se "aplique o regime de sucessão" consagrado na Constituição peruana, que estipula que o cargo deve ser assumido pela sua vice-presidente, Dina Boluarte.

Leia Também: Papa cumprimenta os peruanos e abençoa país com novo Presidente

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório