Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 15º

Edição

23 corpos foram encontrados na RDCongo após um ataque de rebeldes

Pelo menos 23 corpos foram encontrados em três aldeias do nordeste da República Democrática do Congo (RDCongo), após um ataque de rebeldes suspeitos das Forças Democráticas Aliadas (ADF), comunicou hoje um membro da sociedade civil. 

23 corpos foram encontrados na RDCongo após um ataque de rebeldes
Notícias ao Minuto

14:54 - 25/11/21 por Lusa

Mundo Ataque

O coordenador dos grupos da sociedade civil na província de Ituri, Jean Bosco Lalo, disse à agência de notícias Efe que o número de mortos é "provisório" e é provável que "aumente" assim que as autoridades terminem a investigação nos locais atacados.

O incidente ocorreu nas aldeias de Ndengesa, Tchabi e Vido, todas localizadas em Ituri, durante as primeiras horas da manhã de quarta-feira.

Jean Lalo disse que várias pessoas foram mortas com machetes depois de os rebeldes lhes terem atado as mãos e as pernas.

Outras vítimas foram também mortas a tiro quando tentavam fugir pelos campos que rodeavam as aldeias onde viviam.

As províncias de Ituri e de Kivu Norte registaram um aumento do número de ataques rebeldes e de mortes de civis durante o último ano, levando o Governo congolês a declarar o estado de emergência no final de abril.

Contudo, apesar de uma presença militar crescente em ambas as províncias, a sociedade civil e as figuras políticas locais lamentam que a frequência dos ataques não tenha diminuído.

As ADF são um grupo rebelde de origem ugandesa, mas operam atualmente no nordeste da vizinha RDCongo.

Os alvos das ADF não são claros, para além de uma possível ligação com a organização terrorista do Estado Islâmico, que por vezes reivindica a responsabilidade pelos ataques. 

Embora o grupo de peritos das Nações Unidas sobre a RDCongo tenha dito não ter encontrado provas de apoio direto do Estado Islâmico às ADF, os Estado Unidos identificaram os rebeldes como uma "organização terrorista estrangeira" filiada no grupo 'jihadista' desde março.

Em meados de novembro, o Presidente ugandês, Yoweri Museveni, manifestou a sua disponibilidade para ajudar o exército da RDCongo a "derrotar" as ADF.

De acordo com o Barómetro de Segurança Kivu (KST), as ADF já mataram mais de 2.020 pessoas em mais de 361 ataques desde 2017.

Desde 1998, o leste da RDCongo tem tido vários conflitos alimentados por milícias rebeldes e ataques de soldados do exército, apesar da presença da missão de manutenção da paz das Nações Unidas na RDCongo (Monusco), que conta com mais de 14.000 soldados destacados.

A ausência de alternativas e de meios de subsistência estáveis levou milhares de congoleses a pegar em armas e, de acordo com a investigação da KST, esta região é agora o campo de batalha para pelo menos 122 grupos rebeldes.

Leia Também: Piratas morrem no Golfo da Guiné após ataque a marinha dinamarquesa

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório